Abriu um hostel na Foz do Arelho

1
25370
Lourenço Caetano é o gestor do Sunshine Hostel | Isaque Vicente

Abriu há cerca de um mês um hostel na Foz do Arelho. Localizado no antigo Bar da Lagoa, tem quatro quartos com capacidade para 19 pessoas, uma sala comum (tal como a cozinha e as duas casas de banho). No exterior há uma horta, que também tem árvores de fruto e um pátio onde se situa um jacuzzi com vista para a Lagoa.
Chama-se Sunshine e o logótipo é um sol sorridente. Trata-se de uma aposta de Miguel Crespo e do filho, Lourenço Caetano, que gere o espaço. Decidiram abrir um hostel na Foz porque não existia nenhum. Além disso, a propriedade já era da família e, notou Lourenço Caetano, “a Foz do Arelho é uma zona emergente, que se localiza entre Peniche e a Nazaré, que são as capitais do surf”.

O Sunshine “é um sítio para estar com outras pessoas, não apenas para ir dormir, mas para conviver”, explicou, acrescentando que “o conceito é a felicidade”.
Os pontos fortes são “a vista fenomenal para a Lagoa, o estar a cinco minutos a pé da praia e o facto de ser uma casa com histórias para contar, porque já foi um bar e um centro de jardinagem”. Além disso, o jovem destaca o cariz social do negócio porque tem planeado em 2018 levar alimentos (deixados pelos hóspedes) a pessoas carenciadas em Moçambique ao abrigo de uma parceria com a ONG Estímulo.
Além da dormida, que custa entre 20 e 25 euros (com pequeno-almoço), proporciona actividades aos hóspedes, como surf, windsurf, kitesurf, mergulho, reiki e ioga.
A decoração do espaço ficou a cargo do pai, Miguel Crespo, que contou com a ajuda de uma arquitecta.
No futuro próximo pretendem criar um bar de apoio no pátio com materiais reciclados (por exemplo paletes e bobines de fio) e num prazo mais alargado tornar a unidade auto-sustentável (principalmente ao nível da alimentação).
Com a abertura deste espaço, o jovem, recém-licenciado em Direcção e Gestão Hoteleira na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, criou o seu próprio trabalho. No Verão irá empregar mais uma pessoa.
Apenas a estrutura do edifício foi aproveitada pois tudo o resto foi renovado. Pai e filho não revelaram o montante do investimento, mas referiram que não recorreram a financiamento bancário.

1 COMENTÁRIO

  1. Sou professor nas Caldas.Parabens pela iniciativa que vou publicitar junto aos meus colegas que procuram um hostel para pernoitar em tempo escolar.Não pode ser mais oportuno.Boa sorte.