AJ Tec tem novas instalações e aposta no desenvolvimento de hardware

0
762
Gazeta das Caldas
Marco Jesus mostra a nova secção da empresa, que se dedica ao desenvolvimento de equipamentos à medida das necessidades dos clientes

A AJ Tec inaugurou no passado dia 26 de Janeiro as novas instalações no pólo de São Cristóvão, onde passou a ocupar todo o piso superior do edifício central (por cima do café do posto de combustíveis). A mudança de instalações (antes ocupava duas salas no piso superior do edifício do concessionário da Nissan e da Volvo) aconteceu já no início deste ano e permitiu à empresa iniciar o trabalho de desenvolvimento de equipamentos tecnológicos (hardware) para responder às necessidades dos seus clientes.
A AJ Tec foi criada no Grupo Auto Júlio em 2015, com apenas um colaborador, Marco Jesus, actual coordenador de projectos da empresa, mas rapidamente ganhou dimensão e já este ano o número de trabalhadores subiu para os 12.
O crescimento do número de trabalhadores tem acompanhado o da própria empresa, que tem como core business o desenvolvimento de sites e aplicações online e software à medida para todas as plataformas (computador, tablet, smartphone) e sistemas operativos (Windows, IOs e Android). A empresa é parceira exclusiva da PHC, uma das três marcas de topo em programas de gestão.
No entanto, esta empresa caldense não se limita a comercializar a solução informática da PHC e é nisso que se diferencia em relação à concorrência, que é forte tanto no distrito de Leiria, como no de Lisboa.
“Pegamos no software da PHC e acrescentamos soluções específicas que desenvolvemos de acordo com as necessidades dos nossos clientes, o que nos abre um potencial enorme”, adianta Marco Jesus.
Um dos exemplos é o sistema que a AJ Tec desenvolveu para os postos de abastecimento de combustíveis do Grupo Auto Júlio. “O PHC não consegue comandar o bloqueio das bombas e fazer pré-pagamento, nós desenvolvemos isso e somos o único parceiro a nível nacional que conseguiu pôr o programa da PHC a fazê-lo”, acrescenta.
Este trabalho de desenvolvimento permitiu gerar poupança ao grupo, uma vez que as soluções existentes no mercado, sobretudo de origem estrangeira, tinham preços muito mais elevados. Entretanto a AJ Tec colocou esta solução no mercado. “Recentemente equipámos oito postos em Beja e 15 em Braga, este é um bom exemplo daquilo que temos capacidade para fazer”, sustenta Marco Jesus.

UM NOVO MERCADO QUE SE ABRE

Agora, a esta actividade na programação a AJ Tec junta a capacidade de desenvolvimento de equipamentos físicos para interagir com as soluções de software. O novo espaço tem uma sala dedicada a esta actividade, que chegou ao Grupo Auto Júlio com a aquisição da Alferpac, há cerca de um ano.
E voltando a pegar no exemplo do programa criado para a operação e gestão dos postos de combustíveis, Marco Jesus explica que um dos equipamentos que está em desenvolvimento irá permitir que os funcionários dos postos possam alterar no programa de gestão os preços dos combustíveis anunciados nos pórticos. Actualmente esta alteração tem que ser feita directamente nos pórticos.
As possibilidades são infindáveis e o hardware a desenvolver tanto pode ser uma simples placa de circuitos integrados para interagir com um computador, como pode ser uma estação meteorológica construída de raiz para a agricultura.
“A nível nacional existem poucas empresas com esta capacidade de desenvolver soluções de hardware e software à medida, existe quem faça uma coisa ou outra, mas as duas não”, sublinha o coordenador de projectos da AJ Tec.
O potencial é muito grande e em diversos sectores. “Trabalhamos muito com agricultura porque é um sector forte na região, mas temos clientes, por exemplo, do sector automóvel, como uma empresa que é fornecedora da Auto Europa e para a qual desenvolvemos a plataforma de produção”, diz Marco Jesus.
Este potencial fez com que a administração do Grupo Auto Júlio tivesse apostado nesta empresa. Na inauguração das instalações, António Júlio, presidente do grupo, realçou que espera que o crescimento da AJ Tec a médio prazo equilibre as perdas que se estimam para o comércio de automóveis e de combustíveis, com as alterações que a eletrificação dos transportes vai introduzir nestes mercados.

A AJ Tec começou por facturar cerca de 100 mil euros no primeiro ano de actividade, atingiu no ano passado os 500 mil euros e as perspectivas são que continue em rota ascendente este ano. De resto, a equipa já recebeu mais dois colaboradores em 2018 e poderá crescer ainda mais.
A empresa tem clientes de Norte a Sul do país, mas ainda não exporta. No entanto, esse é um cenário que poderá mudar em breve. No inauguração das novas instalações esteve uma comitiva de empresários brasileiros que tem mostrado interesse no trabalho da empresa caldense.
É que a AJ Tec está a desenvolver um equipamento, que combina hardware e software de produção própria que deverá chegar ao mercado ainda este ano. Este equipamento, que terá uma solução para empresas e outra doméstica, irá fazer a leitura dos consumos, traduzindo-a  num valor real em euros. Ao mesmo tempo, o aparelho apresenta onde está a ser feito o consumo, o que permitirá aos utilizadores saberem onde podem poupar energia.
“Já temos seis destes equipamentos em teste para detectar e resolver possíveis bugs [anomalias], e daí partiremos para o desenvolvimento do marketing do produto”, adianta Marco Jesus.
Este equipamento será ainda desenvolvido para que, no futuro, se possam comandar algumas funções da casa através de aplicações no smartphone.