Alojamento local cresce mais do que hotelaria

0
502
Várias unidades hoteleiras já disponibilizaram alojamento para acolher utentes dos lares, caso haja necessidade

O Alojamento Local tem tido um forte crescimento na oferta de camas na região Oeste e um contributo importante para o crescimento do turismo na região.
Este é, de resto, o segmento que mais cresce no setor do alojamento, que viu as receitas subirem 31% no ano passado em relação a 2018.
A hotelaria tradicional continua a ter a maior fatia, com 63,9 milhões de euros na região e um crescimento de 3,7%.
O alojamento local aproximou-se dos 13 milhões de euros de proveitos, ultrapassando a fasquia dos 10 milhões, enquanto os estabelecimentos de turismo rural e de habitação valorizaram 8,2%, atingindo os 7,2 milhões de euros.
Os três segmentos crescem no número de dormidas e é também o alojamento local a liderar as subidas (16,9%), contabilizando 305 mil.
A hotelaria tradicional, que contra 71,8% das dormidas, cresceu 2,6% e aproximou-se do milhão. Já o turismo rural e de habitação manteve números idênticos aos de 2018.
Aliás, a quota de mercado do alojamento local subiu de 19% para 22,4%.
No número de hóspedes a hotelaria tradicional subiu 4,4% para superar o meio milhão, enquanto o alojamento local cresceu 19,1% para os 147 mil.
O turismo rural e de habitação viu o número de hóspedes recuar 2,2%. Em 2018 já tinha recuado 0,2%.