Barbie levou quase 10 mil pessoas ao cinema, mas setor mantém-se em baixa

0
603
As salas de cinema da região ainda estão a recuperar da quebra provocada pela pandemia

Salas de cinema do Oeste receberam quase 237 mil espectadores, mais 25% do que em 2022, mas ainda longe dos números de 2019

O ano de 2023 foi de recuperação para as salas de cinema da região, mas os números de espectadores continuam abaixo dos registados antes da pandemia. Num ano em que Hollywood foi afetada pela greve dos argumentistas, também houve falta de mais blockbusters que enchessem as salas de cinema. Barbie foi o que mais faturou na região.
As salas de cinema do Oeste registaram em 2023, segundo os dados fornecidos pelos exibidores ao Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), 236 mil espectadores, mais 25,1% do que no ano anterior. No entanto, este número fica ainda longe das 310 mil pessoas que assistiram às projeções no grande ecrã em 2019, antes da pandemia. Isto significa que o mercado ainda tem que recuperar cerca de 24% para superar esses números.
Caldas da Rainha e Torres Vedras registam os números mais elevados, como seria de esperar, até porque são as únicas duas sedes de concelho do Oeste com salas de cinema que acolhem os principais títulos.
Os cinemas de Torres Vedras registaram perto de 152 mil espectadores, com as salas do centro comercial Arena a terem a maioria das visualizações. O número representa 64% do total de espectadores da região e registou um crescimento de 24,5% em relação a 2022. Nas Caldas da Rainha, o número de espectadores chegou aos 78.368, mais 21,9% do que em 2022. Os números do ano passado nas Caldas são 32% inferiores aos registados em 2019, o que significa que o regresso dos caldenses ao cinema continua a fazer-se num ritmo lento.
A projeção de filmes de cinema nas Caldas da Rainha é realizada em dois exibidores, sendo a maior o Cineplace, do centro comercial La Vie, e o CCC. As cinco salas do Cineplace registaram em 2023, segundo os dados da ICA, 77.260 espectadores, mais 13 mil do que no ano anterior. Já o CCC ultrapassou a barreira dos 1000 espectadores, com 14 filmes exibidos. Foram mais 902 espectadores do que em 2022.
Além das Caldas da Rainha e Torres Vedras, houve projeção de cinema em Alcobaça, no Cineteatro João D’Oliva. A sala registou 4351 espectadores, com um incremento de 47,5% em relação a 2022.
O Cineteatro da Nazaré voltou no ano passado a receber projeções de filmes, que registaram 2119 espectadores.
Barbie foi o mais visto
Nas salas de cinema das Caldas da Rainha, o filme mais visto em 2023 foi Barbie. O filme da Warner Bros sobre a boneca mais popular da história dos brinquedos foi vista nas Caldas por 9531 pessoas, batendo o filme mais visto em 2022 no Cineplace das Caldas por larga margem. O “blockbuster” desse ano nas Caldas foi o filme dos Mínimos (Minions), que não chegou aos 6500 espectadores.
Apenas o filme Avatar: O caminho da água ficou perto dos números de Barbie, com um total de 8350 espectadores, mas repartidos entre 2022 e 2023.
O segundo filme mais visto no ano passado nas Caldas foi Velocidade Furiosa X, com 5787 espectadores, enquanto Super Mário Bros – O Filme, não chegou aos 5000.
Títulos como A Pequena Sereia, Oppenheimer, ou a última aventura de Indiana Jones, em O Marcador do Destino, ficaram abaixo das expectativas.
Amadeo, de Vicente Alves do Ó, foi o filme que levou mais pessoas a ir ver cinema no CCC, 254 pessoas em duas sessões. Juunt Pastaza Entsari, Viver Mal e Cesária Évora também levaram acima de uma centena de pessoas ao CCC. ■