Câmara de Alcobaça apresentou regulamento para a ALEB

0
285
Documento foi apresentado numa reunião de câmara extraordinária que decorreu na Benedita

Área de Localização Empresarial da Benedita é investimento de 7,5 milhões de euros e será inaugurada em breve

A Câmara Municipal de Alcobaça promoveu no passado dia 20 de março uma reunião de câmara extraordinária e descentralizada, na sede da Junta de Freguesia da Benedita, na qual foi apresentado discutido o regulamento da Área de Localização Empresarial da Benedita (ALEB).
Para esta sessão, foram convocados os membros do executivo da junta e da assembleia de freguesia, de modo a integrá-los na discussão sobre principais pressupostos e características do regulamento.
Durante a sessão, o presidente da Câmara de Alcobaça, Hermínio Rodrigues, começou por dizer que a ALEB tem na sua génese uma longa reivindicação, “com mais de 30 anos”, dos empresários da Benedita e que o regulamento daquela infraestrutura “procurará, acima de tudo, responder aos seus anseios e às suas necessidades”.
O autarca sublinhou que o concelho de Alcobaça apresentou o terceiro melhor saldo entre constituição e dissolução de empresas e que a Benedita “é, seguramente, a freguesia que mais contribui para esta realidade”. “A saúde e a pujança económica de todo concelho refletem o trabalho que aqui se tem vindo a desenvolver nas últimas décadas”, acrescentou, defendendo que “a ALEB irá honrar todo este legado, promovendo o progresso e o desenvolvimento sustentável”. Hermínio Rodrigues não tem dúvidas que a infraestrutura “será uma infraestrutura de referência para toda a região e para todo país”.
Localizada na Quinta da Serra, junto ao IC2, na Benedita, a ALEB conta com uma área de 53,7 hectares dividida em 73 parcelas que se destinam à instalação de indústria, logística, armazenagem, comércio e serviços.
Trata-se de uma infraestrutura com dimensão e impacto regional, mas que dará um novo impulso ao sul do concelho de Alcobaça, onde estão instaladas várias empresas de renome nacional e internacional, que dão cartas em diversos setores como a cutelaria, o calçado, a marroquinaria, a extração da pedra.
A ordenação do tecido industrial da freguesia é um desejo de décadas por parte dos empresários, que agora será consolidada naquela que, com um investimento de 7,5 milhões de euros, “é a maior obra de sempre da Câmara Municipal de Alcobaça”, salienta o município alcobacense.
Ao longo dos últimos anos, o projeto foi superando difíceis etapas e procedimentos burocráticos, obtendo pareceres favoráveis de todos os organismos responsáveis pelo licenciamento ambiental e gestão territorial, nomeadamente a CCDR-LVT, as Infraestruturas de Portugal, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e a Agência Portuguesa do Ambiente.
A Câmara de Alcobaça adianta que terá “para breve” o anúncio da inauguração da ALEB. ■