Centro 2020 já atribuiu 3,4 milhões de euros às empresas do Oeste em resposta à covid-19

0
153
As empresas aproveitaram os apoios comunitários para melhorar a segurança e inovar na produção

Projetos totalizam 4,4 milhões de euros de investimento em 10 dos 12 concelhos do Oeste

 

O Programa Operacional do Centro – o Centro2020 – já aprovou 3,4 milhões de euros de apoios às empresas do Oeste em resposta à pandemia de covid-19, o que corresponde a 6,5% do total dos apoios que o programa concedeu para este fim em toda a região Centro.
Segundo dados do Centro2020, que ainda não incluem o mês de dezembro, o Centro2020 aprovou 58 projetos às empresas do Oeste, que representam investimentos eligíveis que ultrapassam os 4,4 milhões de euros.
Destes projetos já aprovados, 46 tratam-se de da adaptação das empresas para poderem voltar à atividade após o período de confinamento com as necessárias garantir a segurança individual e a correta higienização dos espaços devido ao risco de contágio. No entanto, 12 destas candidaturas que mereceram apreciação positiva do programa que gere os quadros comunitários na região Centro visaram a reconversão da atividade das próprias empresas, de modo a produzirem diversos tipos de produtos em resposta à pandemia. Entre estes produtos estão os equipamentos de proteção individual, mas também desinfetantes e no software.
O concelho de Alcobaça é o que reúne o maior número de projetos aprovados no Oeste, num total de 16. É também o que tem maior número de projetos relativos ao desenvolvimento de produtos de apoio ao combate à pandemia, no total de 5.
Os projetos aprovados em Alcoba totalizam um investimento de 2,2 milhões de euros, com financiamento comunitário de 1,8 milhões, ou seja, metade do total atribuído ao Oeste.
As empresas dos concelhos de Alenquer, Cadaval e Torres Vedras viram candidaturas aprovadas num total acima de meio milhão de euros, enquanto as das Caldas da Rainha, com 14 projetos aprovados, têm projetos com investimentos de 433 mil euros.
Óbidos, Peniche, Lourinhã, Nazaré e Arruda dos Vinhos também têm candidaturas aprovadas, com valores abaixo dos 100 mil euros. ■