Clube de Produtores da Sonae reuniu 350 pessoas nas Caldas da Rainha

0
630

O Encontro Anual do Clube de Produtores da Sonae realizou-se no CCC a 9 de Dezembro e contou com a participação de 350 pessoas, na sua maioria, produtores que vendem para a Sonae.
Este evento serviu para realizar o balanço do ano e também para atribuir pela primeira vez o Prémio Inovação à firma Castro & Cabero, Lda,  que se dedica à produção industrial de uma nova espécie em aquacultura (o linguado). Entre as três menções honrosas atribuídas conta-se a Frubaça – Cooperativa de Horto fruticultores CRL, que foi distinguida por causa dos seus sumos e de comercializar polpa de fruta fresca (ver caixa).
A sessão teve como orador convidado o ex-ministro da Economia e director-geral da Cotec Portugal – Associação Empresarial para a Inovação, Daniel Bessa.

Ao todo participaram nesta iniciativa 350 pessoas, tendo o CCC sido escolhido para o Encontro Anual do Clube de Produtores da Sonae

A escolha das Caldas da Rainha para a realização do XII encontro do Clube de Produtores prende-se com o facto “desta ser uma região forte na área dos hortofrutícolas”, explicou à Gazeta das Caldas Eunice Silva, directora do Clube de Produtores da Sonae. Todos os anos este encontro é realizado numa localidade diferente e desta forma “tentamos correr todo o país”, acrescentou a responsável.
Este clube foi criado em 1998 com o objectivo de aproximar a produção nacional à distribuição, neste caso às lojas da Sonae.
Hoje já são 231 membros – individuais, organizações e cooperativas – e ao todo, a nível individual são mais de 1500 produtores que pertencem a este clube.
“É gratificante ver este número a crescer, assim como as compras que temos feito ao longo dos últimos anos”, disse Eunice Silva. Ao longo de 2010 as compras aos produtores nacionais cresceram 7,9% em volume de compras, o que equivale a 123 mil toneladas de bens. Trata-se, pois, de um crescimento de 17,6% em valor de compras e que corresponde a 168 milhões de euros.
O Clube de Produtores tem técnicos agrícolas no terreno que apoiam os produtores, a quem exigem também elevados níveis de qualidade nos produtos. Estes técnicos ajudam a planear a produção e também garantem o escoamento das campanhas através de contratos programa.
“Nos últimos 12 anos temos projectos muito inovadores entre os nossos produtores e devemos fomentar e reconhecer esses valores”, contou a responsável, explicando que foi instituído no ano passado o Prémio Inovação. A primeira entrega desta distinção decorreu nas Caldas e como as candidaturas foram tantas “resolvermos atribuir um prémio e três menções honrosas (ver caixa)”.
O prémio inovação foi ganho pela Castro & Cabero, Lda, empresa da Póvoa do Varzim,  pela sua produção de linguado. A firma portuguesa vai poder participar na maior feira de peixe da Europa, a Seafood em Bruxelas.
As três empresas distinguidas com as menções honrosas – Frubaça, Companhia das Lezírias SA e Patrimvs Industria S.A –  obtiveram como prémio poderem estar presentes num dos maiores fóruns da Europa – a ExpoManagment em Madrid.
A Sonae “é a única empresa a premiar desta forma os seus produtores e a contribuir, activamente, para o desenvolvimento do sector”, rematou Eunice Silva.
Uma das menções honrosas foi atribuída à Frubaça, empresa de Alcobaça que desde 1991 produz para a Sonae. Tem estado presente desde a fundação do Clube de Produtores e segundo Jorge Periquito, director técnico da empresa, esta distinção “é uma grande honra pois é o culminar de um trabalho que é reconhecido pela Sonae”.
Desde o inicio da sua constituição, a Frubaça – Cooperativa de Horto fruticultores CRL baseou a sua produção em elevada tecnologia permitindo-lhe “criar um produto de excelência a nível mundial”.  O responsável refere-se à polpa de fruta fresca que “é uma forma conveniente de consumir fruta à colher”. Esta é conservada a frio, o que lhe dá frescura e garantia de qualidade ao consumidor.
Daniel Bessa, que é o director geral da Cotec Portugal – Associação Empresarial para a Inovação foi o convidado da sessão e dedicou a sua intervenção à necessidade de se investir na gestão da inovação em Portugal.

Produtores da região satisfeitos com Sonae
“Produzimos pêra rocha e fornecemos a Sonae há nove anos”. Palavras de Pedro Pereira, responsável pela Central de Frutas do Painho (Cadaval). Este responsável diz que todos os anos “temos vindo a crescer a produção para a Sonae e neste momento já representa 40% da nossa facturação”. É o maior cliente desta Central e todos os anos “crescemos 15%”. Pedro Pereira é o responsável comercial por esta empresa que é uma sociedade anónima que tem 20 produtores.
Hélder Silva e Carla Simões estiveram no evento a representar a FrutaAlvor, das Caldas da Rainha, empresa que se dedica a produzir várias variedades de maçãs e peras. Há 13 anos que fornecem a Sonae e “temos vindo a crescer na ordem dos 20% ao ano”, disseram. A empresa “é um cliente muito importante com quem estabelecemos parcerias pois têm-nos  ajudado a dar a conhecer os nossos produtos como a maçã de Alcobaça ou a Pera Rocha do Oeste”, disseram. Estes são produtos certificados que as lojas desta cadeia vendem e que neste momento já representam 30% da facturação daquela empresa.
José Burnay é responsável da Campotec, em Torres Vedras, empresa que produz pêra rocha, maçã e hortícolas.  Vende para a Sonae há 16 anos e neste momento a cadeia já representa 30% do seu volume da facturação. Salientou ainda o apoio que é dado pelos técnicos do clube e “que nos obrigam a evoluir e a ser mais competitivos”, rematou José Burnay.
Mário Rodrigues trabalha na Narc Frutas – Cooperativa de Fruticultores e Horticultores da Região de Alcobaça que tem sede no Casal Pardo, em Alfeizerão fornece as lojas Modelo-Continente há dois anos e as vendas cresceram 20% em relação ao ano anterior. Esta é uma empresa jovem, com oito anos e “estamos a apostar forte na modernização do nosso equipamento”.
A Tree Portugal, uma empresa do Bombarral que se dedica à produção de Pera Rocha, esteve representada por Francisco Torres que gere a área comercial. São fornecedores da Sonae há cerca de seis meses, fornecendo-lhes 20% da sua produção.
Vítor Frutuoso é de Rio Maior e produz borregos e novilho. Fornece a Sonae há 12 anos sendo esta também o seu principal cliente, valendo 90% da facturação da sua empresa, a Terra Brava, que fundou em 2002.
Desde 1998 que pertence ao Clube de Produtores e considera que tem uma boa relação com a  cadeia, já que “hoje em dia se não estivermos ligados a estes grupos não se consegue sobreviver pois além da garantia do escoamento do produto temos a garantia do pagamento”.

Engenheiro caldense na Sonae

Eduardo Mendonça, 35 anos, é caldense e há cinco anos que trabalha na Sonae. É engenheiro de Produção Alimentar e director da unidade de negócio do talho, o que o faz responsável por todas as compras de carne fresca que são vendidas nas lojas Modelo e Continente.
Nas Caldas não há produtores de carne que sejam clientes da Sonae, mas há em Rio Maior, Benedita, Alcanede, Torres Novas ou Santarém.
“Já estive numa parte mais operacional de loja e há três anos que estou na parte comercial”, disse o caldense, que considera a Sonae uma empresa dinâmica e inovadora. Em especial porque “aposta forte nos recursos humanos, possibilitando várias oportunidades de formação”.
O engenheiro estudou na sua terra natal até concluir o ensino secundário na Escola Raul Proença. Hoje mora em Lisboa “mas venho cá todos os fins de semana”, rematou Eduardo Mendonça.

Os premiados

l“Castro & Cabero, Lda”
Prémio Inovação 2010: Produção Industrial de uma nova espécie em Aquacultura – Linguado
l“Frubaça – Cooperativa de Horto fruticultores CRL”
Menção Honrosa do Prémio Inovação 2010: Sumos e polpa de fruta fresca
l“Companhia das Lezírias, S.A.”
Menção Honrosa do Prémio Inovação 2010: Carne de Bovino naturalmente rica em Ómega-3
l“Patrimvs Industria S.A.”
Menção Honrosa do Prémio Inovação 2010: Pão São Especial Diabéticos

Natacha Narciso
nnarciso@gazetadascaldas.pt