Doce Diabo, um bar de tapas entre a Praça da Fruta e o Parque D. Carlos I

0
241

Em plena pandemia, dupla de jovens decidiu requalificar um espaço na cidade termal para abrir um bar de tapas

Stephanie Barbosa e Tatiana Gomes são duas jovens empresárias que abriram, esta semana, um novo espaço comercial nas Caldas. Trata-se do restaurante Doce Diabo, que se localiza no nº 12A da Rua da Amargura, numa cave (ainda assim luminosa) entre o Parque D. Carlos I e a Praça da Fruta.
A porta, vermelha, chama a atenção, com o logótipo da empresa. O nome, Doce Diabo, além de “ser sugestivo”, procura jogar com as personalidades das duas empresárias.
Quanto ao logótipo brinca com o tridente do diabo, representando os três dentes um talher (um dente é uma colher, um dente é um garfo e o outro dente é uma faca).
No interior, a decoração, muito “clean”, foi pensada pelas próprias e privilegia os tons de branco e cinza e os ares de modernidade, procurando a beleza na simplicidade.
Um pormenor que não deixa de ser curioso é um sofá à entrada, debaixo de um dos letreiros luminosos (que diz, a vermelho, “Doce Diabo”, havendo mais um, na sala, em branco, a dizer “Pitéu dos Diabos”).
Neste local havia funcionado, há mais de três décadas, o Real Senhor, um restaurante que durante anos esteve aberto ao público e que pertencia aos avós de Stephanie Barbosa, uma jovem que nasceu no Canadá, mas que há cerca de três anos vive nas Caldas da Rainha e que, juntamente com a amiga, decidiu reabrir o espaço.
Esta é a primeira aposta empresarial das agora empresárias, que já tinham experiência nesta área da restauração, até porque os pais de Tatiana Gomes tinham tido, também eles, um restaurante durante cerca de 25 anos.
“Estou a seguir as pisadas deles. Que tenha tanto sucesso como eles”, desejou a jovem, natural da Lourinhã.
A localização do novo bar de tapas nas Caldas da Rainha é bastante privilegiada: entre a Praça da Fruta e o Parque D. Carlos I. Porém, as empreendedoras assumem que “precisa de alguma divulgação”, notando que o espaço se situa numa rua pouco movimentada.
“O principal foco serão as tapas e a cerveja artesanal, mas também os vinhos”, afirmaram Tatiana Gomes e Stephanie Barbosa.
As sobremesas são direcionadas a dois produtos típicos da região: as Cavacas das Caldas e a ginja de Óbidos.

Abrir um negócio em pandemia
A dupla decidiu abrir um negócio em plena pandemia, o que levou a uma série de constragimentos, até porque o estabelecimento que existia foi todo requalificado. “Queríamos ter aberto em maio, mas com a falta de mão de obra na construção civil e outros problemas só foi possível abrir as portas em dezembro”, explicaram.
Com a abertura deste novo negócio na cidade foram criados quatro novos postos de trabalho (os dois das empresárias e mais dois, das cozinheiras que contrataram).
O Doce Diabo conta, atualmente, com 32 lugares no interior, mas a dupla de empresárias pretende também ter uma esplanada com mais seis mesas, em volta do bar, acrescentando, dessa forma, 24 lugares (e ficando com um total de 56 lugares).
Depois da inauguração, na passada segunda-feira, o bar de tapas funciona de terça a quinta-feira entre as 11h00 e as 23h00 e às sextas e sábados entre as 11h00 e as 00h00 (em ambos os dias com pausa para almoço entre as 16h00 e as 19h00). À segunda-feira está aberto apenas entre as 11h00 e as 16h00. ■