Elite Serralharia aposta na construção de roulottes de street food

0
1293

Em Março deste ano abriu no Lavradio, junto ao supermercado Pingo Doce, a Elite Serralharia. A empresa faz todo o tipo de trabalho de serralharia, mas especializou-se na construção de roulottes de street food.
Tudo começou em Novembro de 2017 quando o casal Toni e Elizangela Araújo vieram de Minas Gerais, no Brasil, para as Caldas da Rainha. Abriram um negócio bem diferente daquele que têm hoje. Na altura, apostaram numa banca para estampar t-shirts em eventos pelo país. “Não resultou e tivemos que dar um passo atrás”, contou Toni Araújo à Gazeta das Caldas.
Um passo atrás que lhes abriu um caminho novo, com muito espaço para poderem avançar. A ideia inicial era trocar a banca de t-shirts por uma de street food. Nas Caldas conheceram Davi Braga, serralheiro, e pensaram construir a sua própria roulotte. Correu tão bem que foi criada uma nova sociedade, entre Davi, Toni e Igor Pereira, familiar de Toni.
A caldense Maria João Botas (organizadora do Caldas Street Food), deu uma ajuda. “É uma pessoa com muitos conhecimentos na área e tem-nos ajudado bastante na divulgação”, realça Toni Araújo.
Encontraram o espaço ideal num armazém de 450 m2 de área, junto ao Pingo Doce de Tornada, e iniciaram então actividade.
Há falta de oferta no campo da serralharia civil em geral, mas sobretudo neste ramo de fabrico de roulottes de venda de comida, que é um sector em forte expansão. “Isso causa também dificuldade com os tempos de espera. Há empresas com tempos de espera de oito meses, o que não é sustentável para quem está a tentar criar o seu posto de trabalho. Nós estamos a entregar em dois meses”, realça Elizangela Araújo.
Por serem equipamentos que circulam na estrada, é necessário respeitar legislação rigorosa. O trabalho começa, por isso, com um projecto que é realizado por empresas de engenharia em regime de outsourcing. A Elite Serralharia trata depois de todo o processo de construção, desde o chassis até ao produto acabado. “Só utilizamos material homologado, produzido na Europa”, sublinha Toni Araújo.
As encomendas têm chegado não só das Caldas, mas também de outras paragens, incluindo Lisboa e Madeira. “Também temos pedidos de ingleses e franceses”, afirma Elizangela Araújo.
Colocar a empresa a trabalhar significou um investimento de 40 mil euros, repartido entre os três sócios. “O equipamento necessário é caro. Optámos por adquirir equipamento de última geração, porque nos garante segurança e maior qualidade no produto final”, diz Toni Araújo.
A empresa garante seis postos de trabalho, que deverão aumentar nas fases de maior pico de encomendas. O objectivo é mesmo que a empresa possa expandir-se.
A Elite Serralharia abre de segunda a sábado das 9h00 às 18h00.