Falta de disponibilidade orçamental leva IPL a suspender aquisições e cabimento de despesas

0
971

A presidência do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) decidiu suspender as aquisições e cabimento de despesas, pelo facto de não ter disponibilidade de tesouraria, resultante do não reforço orçamental pelo governo de cerca de 630 mil euros para fazer face a alterações legislativas, “o que traduz o não cumprimento do acordo estabelecido com as Instituições de Ensino Superior”, refere em comunicado.
Desde 4 de Dezembro que não são cabimentadas despesas com aquisições de bens e serviços e aquisições de investimento, com excepção daquelas que decorram do cumprimento de imperativos legais ou que sejam manifestamente excepcionais, faz saber o IPL.

A presidência daquele politécnico destaca ainda que o acordo de compromisso entre a tutela e os politécnicos não está a ser cumprido, o que, no caso do IPL, compromete “não só o seu normal funcionamento, como também a execução de projectos de investigação e desenvolvimento, nomeadamente no que respeita às parcerias com empresas e outras instituições, caso o financiamento não chegue urgentemente”.
Poucos dias depois desta tomada de posição, Pedro Pimpão, deputado à Assembleia da República eleito por Leiria, fez uma carta aberta ao primeiro-ministro, António Costa, onde lembra que a situação não é nova. Diz que 18 deputados do PSD submeteram uma pergunta regimental ao governo, a 15 de Novembro e que, posteriormente ele próprio interpelou o ministro do Ensino Superior manifestando a sua “profunda preocupação com esta situação”.
Na missiva, o deputado refere que “asfixiar as instituições, impedindo-as de cumprir a sua missão é também penalizar toda uma região”, pedindo a intervenção directa do governante para a resolução “deste grave problema que afecta uma das instituições liderantes da região de Leiria”