Lucros subiram 48% face ao ano anterior

0
362

Este ano os lucros das PME Excelência do Oeste rondam os 74 milhões de euros, um número muito acima dos cerca de 50 milhões de euros do ano anterior (em termos percentuais estamos a falar de uma subida de 48%). Mas há, também, mais empresas distinguidas na região (são 159, o número mais alto das 14 edições e um aumento de 16,5%), pelo que era necessário perceber a média por empresa, que se cifrou nos 0,49 milhões de euros, acima dos 0,38 do ano transato (um aumento de 22,5%).
Ao nível do EBITDA – os lucros antes de impostos, juros, depreciações e amortização -, o conjunto das empresas oestina também registou uma subida, dos 78 milhões de euros para os 110 milhões de euros (praticamente 30%).
Ou seja, os dados permitem perceber que no conjunto das PME da região houve um crescimento a todos os níveis. E também permitem perceber que neste campo, Alcobaça é o concelho que reúne um grupo de empresas com maiores lucros (acima dos 20 milhões de euros, o que corresponde a quase um quinto do total da região. Para sermos mais exatos trata-se de mais de 18% e é mais do que a soma dos seis concelhos que apresentam conjuntos de empresas com resultados líquidos mais baixos do Oeste. Cadaval é o concelho com um resultado menos expressivo na região (acima de meio milhão de euros), seguindo-se Sobral de Monte Agraço, Nazaré e Arruda dos Vinhos, antes dos municípios do Bombarral e de Peniche.
Caldas da Rainha, que tem um total de 17 PME que apresentaram em 2023 lucros acima de 12 milhões de euros (representa mais de 16% do total), aparece em segundo nesta listagem, acima dos concelhos de Torres Vedras, de Alenquer, da Lourinhã e de Óbidos. ■