Matéria Orgânica dedica-se à manutenção de jardins

0
294
Antigo guarda-redes do Caldas mantém as luvas, mas agora para cuidar dos relvados

André Silva, antigo guarda-redes do Caldas SC, continua a utilizar as luvas, mas agora são as de jardineiro e abriu a sua própria empresa

André Silva, ex-jogador do Caldas SC, largou as luvas de guardião e agora utiliza as de jardineiro para realizar a manutenção de jardins de residências e alojamentos locais. Matéria Orgânica é o nome da empresa, que surge depois de 13 anos a trabalhar na função pública, na área da educação, mas que vem dar continuidade a algo que já acontecia antes desse período.
O jovem fazia a manutenção de jardins aos fins de semana, mas chegou o momento de optar e escolheu a função pública. “Há dois ou três meses comecei a fazer manutenção dos jardins aos fins de semana e fui novamente obrigado a optar e, desta vez, optei pela manutenção de jardins”, conta, notando que, aos 39 anos, decidiu arriscar no seu negócio, abdicando da estabilidade que tinha.
André Silva também faz pequenas manutenções, como a colocação de vedações e redes ou a construção de decks de madeira. Outro serviço que presta é a manutenção de piscinas, mas apenas nos casos em que cuida dos jardins, não faz exclusivamente a manutenção de piscinas.
A Matéria Orgânica não se restringe às fronteiras do concelho das Caldas, trabalhando também nos concelhos de Óbidos, Peniche, Cadaval, Bombarral, Nazaré, Alcobaça e Rio Maior, por exemplo.
A empresa trabalha com duas modalidades: à hora, para serviços esporádicos (como cortar sebes ou proceder à limpeza dos terrenos, que era obrigatória até ao mês de março, mas que continua a ter procura), ou com clientes fixos, com mensalidade e visitas regulares. “Tenho sempre disponibilidade para ir ver os serviços, os orçamentos são gratuitos”, realça. “Cada vez mais pedem que se mantenha o jardim por completo, quando antigamente era mais só o cortar da relva e o aparar dos arbustos”, agora o objetivo é “usufruírem do seu espaço nos momentos em que podem, sem terem a preocupação da manutenção”, que lhes retirava tempo para gozarem do seu jardim.
Questionado de onde veio este gosto, André Silva brinca: “não sei se por ter pisado tantos relvados na minha vida… mas já na altura gostava de ver a relva bem cortada, já tinha esse gosto e as oportunidades também surgem, já gostava de ver um relvado bem cortado quando jogava à bola e agora gosto de ver um bom relvado na casa das pessoas”.
Atualmente, o empreendedor está no 2º ano de licenciatura de Design de Produto na ESAD e pretende ligar essa vertente à sua área profissional, algo que inicialmente nem estava nos seus planos. “Penso que poderá ser uma mais-valia essa área do design na construção de jardins”, assevera. ■