Oceano Fresco investe 3,6 milhões na Nazaré

0
97
Inauguração das instalações contou com a presença de governantes e da administração local

Empresa aposta em Centro Biomarinho para fazer pesquisa e criação de bivalves. Projeto é para crescer e prevê criação de viveiros em alto mar

A Oceano Fresco, SA inaugurou no passado dia 13 de abril o novo Centro Biomarinho, num investimento que rondou os 3,6 milhões de euros, com financiamento de 1,1 milhões de euros no âmbito do programa MAR2020. Trata-se de um centro de criação e produção de sementes de bivalve, localizado perto do porto na Nazaré. A inauguração contou a presença do ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, e da secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho.
A nova infraestrutura é composta por laboratórios, uma zona administrativa e a maternidade de bivalves, com uma área de 1500m2, o que faz desta uma das maiores deste género na Europa. A proximidade com o porto da Nazaré permite a utilização de água do mar de alta qualidade para a produção de sementes para pré-engorda de espécies autóctones, nomeadamente amêijoa boa e amêijoa macha. Estima-se que a produção anual possa atingir os 200 milhões de sementes, quando estiver a funcionar em pleno.
Bernardo Carvalho, presidente e fundador da Oceano Fresco, acredita “fortemente” que os bivalves “são a solução para alterar a cadeia alimentar do mundo de um padrão insustentável para um padrão sustentável”.
Além deste equipamento, a Oceano Fresco adquiriu uma concessão de mar aberto, de 103 hectares, ao largo do Algarve, já em funcionamento, para onde os moluscos seguem para o processo de engorda até à comercialização. Nos dois equipamentos, a Oceano Fresco investiu cerca de 8 milhões de euros, financiados também por investidores privados.
Bernardo Carvalho adianta que este é só o início deste projeto. A empresa pretende evoluir para um Campus Biomarinho, com um plano de viveiros de engorda em alto mar que é “escalável e sustentável”.
Além da produção, a atividade da Oceano Fresco consiste na investigação e desenvolvimento nesta área. Dos 20 postos de trabalho, 10 têm grau de mestrado ou doutorado. Essa foi uma das notas de destaque do ministro Ricardo Serrão Santos, assim como o desejo que expressou de que este projeto “aumente a capacidade de exportação de pescado”.

Aposta no porto da Nazaré
Para Walter Chicharro, presidente da Câmara da Nazaré, este é um projeto que traz “mais rendimento e melhor emprego” ao município.
O autarca afirmou que o porto da Nazaré é “um filão por explorar” e aproveitou a presença dos governantes para pedir a delegação de competências na área portuária e a execução de melhoramentos, nomeadamente no cais de atracagem, nos dois molhes, a dragagem e limpeza do porto e ainda as vias de circulação. Walter Chicharro lembrou ainda que está a decorrer uma alteração ao PDM de modo a viabilizar a implantação de um negócio de engorda de linguado. ■