Oeste inspira-se em boas práticas internacionais para potenciar turismo criativo

0
601

A região Oeste poderá aprender com as boas práticas de Biot (França), Toscana (Itália) e Ibiza (Espanha) ao nível do turismo criativo. Estes três territórios foram escolhidos para um estudo de benchmarking (boas práticas) que foi desenvolvido pela associação Óbidos.com e que agora foi apresentado em livro. Esta foi uma das sete actividades que integrou o projecto My Oeste, da Óbidos.com, com um investimento de 300 mil euros (85% financiados por fundos comunitários) e cuja finalidade é aumentar a estadia média dos turistas na região.

O estudo da Óbidos.com incidiu nos bons exemplos das três regiões mediterrânicas, que segundo a Organização Mundial de Turismo, estão na lista dos 10 países mais visitados do mundo e mesmo assim conseguiram encontrar estratégias para fugir à massificação e diversificar a sua oferta combatendo a sazonalidade.
Biot, na região Côte d’Azur, é conhecida como a vila dos artistas e da arte e pretende com o turismo criativo atrair visitantes, proporcionando-lhes a possibilidade de fazer workshops e de criar o seu próprio artigo nas oficinas de arte da vila. Já a região de Toscana é conhecida pelos seus vinhos e desenvolveu-se a nível turístico promovendo também os sabores, arte e história, termas e bem-estar, desporto e natureza.
Ibiza procura atenuar os efeitos da sazonalidade com espaços criativos e eventos que contribuem para a perpetuação e valorização das suas tradições.
De acordo com as características da região Oeste, o estudo aponta como eixos estratégicos a gastronomia, vinho, fruta, mar e artesanato. Define ainda os vários passos para desenvolvimento do projecto e deixa propostas de implementação de duas actividades criativas na região Oeste. Tratam-se de dois workshops, um que ensina a “fazer o melhor bolo de chocolate”, integrado no Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, e outro para fazer uma peça cerâmica numa oficina nas Caldas.

O estudo faz também referência à estratégia do governo para o turismo até 2027 e à forma como esta se relaciona com os objectivos da região Oeste em promover o turismo criativo. Deixa ainda conclusões e recomendações como a necessidade do Oeste fazer um levantamento das actividades criativas, que proporcionem experiências pessoais aos turistas, envolvendo os municípios e fomentando a interligação entre os mesmos. O documento, apresentado por Catarina Pires, da empresa Consivsocial, refere que a promoção deverá ser liderada por uma entidade que vise o desenvolvimento regional na área e desenvolvida por todos os agentes ligados ao turismo. Além disso, considera que existem vantagens em a região Oeste se associar à Rede de Turismo Criativo, que integra também as regiões estudadas.

Projecto envolveu 873 participantes

O estudo foi apresentado no passado dia 26 de Outubro, no Parque Tecnológico de Óbidos, numa sessão para apresentação dos resultados do projecto My Oeste, Turismo Criativo e Sustentável – O Futuro do Oeste, que teve um investimento de 300 mil euros (85% financiados por fundos comunitários) e integra também concursos de ideias, workshops e a criação de um portal, que deverá estar concluído até ao final do ano.
Na sessão de encerramento, o presidente da associação, Carlos Martinho, destacou a importância que a Óbidos.com tem vindo a atribuir ao empreendedorismo “enquanto activo fundamental para a renovação do nosso tecido empresarial na área do turismo e, consequentemente, para o crescimento da nossa economia”. O responsável acredita que são projectos como este que permitem a uma nova geração de empreendedores estabelecerem laços, criar redes de contacto e desenvolver mais facilmente os seus projectos e ideias de negócio.
O projecto My Oeste, que deverá terminar em Dezembro, foi desenvolvido ao longo de 28 meses e envolveu 245 empresas. Em termos de consultoria, participaram activamente 21 consultores de diversas áreas, num total de 1974 horas.
No total o projecto envolveu 873 participantes.