Oeste mantém-se como segunda subregião do Centro com mais “Gazelas”

0
178

Região tem 22 jovens empresas com selo de crescimento acelerado, menos três do que no ano passado. Nas Caldas da Rainha há 5 empresas Gazela. Peniche e Cadaval entraram na lista

O Oeste manteve-se como a segunda subregião do Centro com mais empresas Gazela 2020, de acordo com a lista divulgada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Centro.
O estudo da CCDR, que distingue jovens empresas em acelerado ritmo de crescimento em emprego e volume de negócios aponta 22 empresas no Oeste, menos três do que no ano passado. A Região de Aveiro, que também tem menos três “Gazelas” do que no ano passado, continua a ser a subregião do centro com mais empresas com este estatuto (26), o pódio fica completo com a Região de Coimbra, com as mesmas 22 empresas que o Oeste.
Na região, Torres Vedras continua a ser o concelho com mais empresas Gazela e até aumentou a liderança. O concelho apresenta 9 empresas neste estudo, mais duas do que no ano passado. Caldas da Rainha surge a seguir, com igual número em relação ao estudo do ano passado, cinco. Arruda dos Vinhos tem três empresas e depois surgem, com uma, Alcobaça, Alenquer, Lourinhã, Peniche e Cadaval. Estes dois concelhos não tiveram qualquer empresa entre as Gazela 2019. Já Óbidos e Bombarral, que na edição do ano passado tiveram uma empresa cada, não estão representados, assim como a Nazaré e Sobral de Monte Agraço.

A construção é o setor empresarial com mais empresas Gazela no Oeste, oito no total

Em relação aos setores de atividade, é de notar que as empresas Gazela apresentam um cenário diferente em relação a outros estudos que olham de forma mais generalizada para o tecido empresarial e que apontam o comércio e a indústria como os principais setores na região. Entre as Gazela, a maior parte são empresas ligadas à construção, com oito das 22 . Seguem-se a indústria e os serviços com quatro cada, três são ligadas à hotelaria e restauração, duas dos transportes e apenas uma de comércio.
Nas Caldas, das cinco Gazelas, construção e serviços têm duas empresas e a restante é de restauração.
Das 119 empresas Gazela deste ano (mais sete que no ano passado), 23 não autorizaram a divulgação do seu nome. Entre as que autorizaram, estão as caldenses BSC Montagens – Empresa de Montagens Termoindustriais, Lda, a Escola de Condução Caldas, Lda, a Marques & Batista, Lda e a Traços da Lagoa, Lda, assim como a The Local X, Lda, de Peniche e a Doces da Carla II, SA, de Alcobaça.
Integram a lista Gazela deste ano as empresas jovens, constituídas a partir de 2011, com pelo menos 10 postos de trabalho em 2019, com um volume de negócios igual ou superior a 500 mil euros e com um crescimento da faturação acima de 20% em 20217, 2018 e 2019.