Oestetur celebrou 10 anos de atividade

0
736
Lídia Leal e Vera Silva são sócias e Susete Isaque trabalha na agência desde a abertura

Agência de viagens começou nas Caldas da Rainha e na Lourinhã e já chegou a Peniche

A Oestetur completou em abril 10 anos de atividade. A agência de viagens, que está bem implementada no mercado do Oeste, tem crescido nos vários mercados em que opera e quer alargar o seu raio de influência, com maior aposta no online.

Foi em 2011 que Vera Silva e Cristiana Lopes fundaram a Destinos ao Rubro. Depois de dois anos a trabalharem sob outra insígnia, em sistema de franchising, perceberam que havia viabilidade para criarem a própria marca. A Oestetur surgiu, então nas Caldas da Rainha, no 3A da Rua Diário de Notícias, onde se mantém, e na Lourinhã. A Vera Silva e Cristiana Lopes juntou-se Lídia Leal. Juntamente com as três sócias, a empresa debutou com Susete Isaque, que se mantém numa equipa que hoje é composta por seis pessoas e que tem ainda mais uma agência, em Peniche, aberta em 2019.

A expansão é fruto da consolidação do projeto e do crescimento que a operadora tem tido nos diversos mercados. “Temos tido um bom crescimento, quer nos mercados individuais, quer nos grupos”, realçam Vera Silva e Lídia Leal.

Um crescimento que atribuem à relação de confiança com o cliente. “Temos muita gente que nos procura todos os anos para viajar, e que nos aconselham a outras pessoas”, acrescentam. Essa relação de confiança deve-se “ao apoio que prestamos antes, durante e após a viagem. Quem viaja connosco sabe que, se tiver algum problema, estamos sempre disponíveis para resolver”, sustentam.

A vertente das viagens em grupo é um dos pontos fortes da empresa. “É um mercado que tem crescido muito. As pessoas gostam de viajar connosco, costumamos dizer que são viagens em famílias alargadas, porque há um convívio que se gera e torna-se uma experiência de proximidade”, conta Lídia Leal.

Dentro destes produtos, a oferta pode ir desde a ida a um concerto, a um passeio no Douro, até saídas ao estrangeiro, como a mercados de Natal, cada vez mais em voga, ou até um cruzeiro.

Outro mercado a ganhar dimensão é o corporate. “Garantimos para as empresas uma dinâmica diferente, porque, de um momento para o outro, pode haver necessidade de reagendar ou mudar a viagem e temos essa flexibilidade”, refere Lídia Leal.

As empresárias referem que a pandemia colocou alguns problemas, com a paragem que chegou a ser total das viagens aéreas, mas a retoma foi “muito positiva”, sobretudo porque provocou uma mudança de mentalidade, destacam. “As pessoas ficaram fechadas em casa e, depois disso, querem passear, usufruir de tudo”, afirmam.

Com o projeto bem sustentado, os planos da Oestetur são para continuar a crescer de forma sustentada. A plataforma de clientes é, sobretudo, do Oeste e querem expandi-la. O online é uma ferramenta que pode ajudar. “Já temos uma ferramenta de reserva online que tem potencial. Agora queremos melhorá-la e reforçar a comunicação”, concluem.