Santa Maria de Óbidos assinalou 37º aniversário

0
77

Escola de condução investiu 100 mil euros nos últimos dois anos

A Escola de Condução Santa Maria de Óbidos celebrou o 37º aniversário no passado dia 14 de maio com o reforço do parque de viaturas. Nos últimos dois anos, a escola já realizou um investimento que ronda os 100 mil euros, de modo a dar melhor resposta aos clientes.
Mário Carinhas, que gere a escola com Pedro Heliodoro, refere que este investimento no reforço da frota é um sinal positivo, “é um esforço que fazemos para conseguirmos estar no mercado, dar outras ofertas e um serviço mais célere a quem nos procura”. Foi adquirida uma viatura ligeira de instrução, que aumenta as opções disponíveis para as aulas de condução, e uma carrinha de 9 lugares, que “permite-nos deslocar mais pessoas com menos viagens para os exames e, assim, rentabilizar as viagens”, explica Pedro Heliodoro.
Este investimento, na ordem dos 36 mil euros, acresce ao que a empresa fez no ano passado, também por esta altura, com a aquisição de um trator semirreboque e um trator agrícola. Estas duas viaturas vieram, sobretudo, atualizar a oferta da escola ao material circulante que as empresas utilizam atualmente. “Sempre tivemos trator agrícola, mas o que tínhamos era bastante velhinho, este novo permite ter um veículo com outras características e maior conforto”, refere Mário Carinhas.
A Escola de Condução Santa Maria de Óbidos é uma das três do distrito onde se pode tirar a categoria T3 da carta de condução, que permite circular com tratores agrícolas na via pública. Mário Carinhas diz que tem havido sempre procura nesta área, mas este é um ano “excecional, porque vão haver alterações à lei a partir de agosto, por isso têm havido procura com maior relevância”.
Estes investimentos foram realizados de modo a preparar a escola para os desafios do futuro, numa fase em que o setor está a recuperar de cerca de 8 meses de inatividade acumulada durante os períodos de confinamento.
“Estivemos sem qualquer atividade, as despesas mantiveram-se, mas as receitas não, e o único apoio que tivemos acesso foi o lay-off simplificado”, refere Pedro Heliodoro. Esse período fez com que, na retoma, a procura crescesse. Além da frota, a escola aumentou também os meios humanos com mais um elemento, para um total de 8. ■