Universidade de Aveiro desenvolve material para armazenar hidrogénio em automóveis

0
412

O Centro de Tecnologia Mecânica e Automação do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Aveiro está a desenvolver um nanocomposito de grafeno-zeolite com níquel, um composto que um grupo de investigadores de Aveiro acredita que pode ajudar a extinguir o consumo de combustíveis derivados do petróleo substituindo-o pelo hidrogénio.
Um dos grandes problemas do uso do hidrogénio, o elemento mais abundante no universo, nos automóveis é o seu armazenamento, por ser um combustível altamente explosivo. Este novo compósito revelou-se suficientemente seguro, leve e barato para poder armazenar hidrogénio nos veículos. “A vantagem deste compósito é que absorve as moléculas de hidrogénio. Pode por isso ser colocado num reservatório onde, em contacto com o hidrogénio, o absorve e o integra na sua estrutura molecular, libertando-o posteriormente conforme as necessidades do veículo”, explica a investigadora Elby Titus.
Para além de abundante, recorde-se que o hidrogénio é também o combustível mais limpo do planeta.

J.R.