Aniversário da ETEO celebrado com animação

0
610
A cerimónia decorreu no auditório da escola no dia 15 de outubro | Isaque Vicente

No meio da pandemia a Escola Técnica e Empresarial do Oeste (ETEO) não quis deixar de assinalar simbolicamente o seu 30º aniversário, com a animação possível, no dia 15 de outubro.
Os festejos iniciaram-se com os bombos e animação de rua no exterior da escola e continuaram com uma sessão institucional no auditório.
Na festa da ETEO não faltou um momento teatral que simulava o programa televisivo “Alta Definição” com um “especial” na escola das Caldas.
O programa convidava um aluno do primeiro ano da escola e um aluno atual para um “debate” de ideias.
Com recurso a apenas três cadeiras, um tapete, uma mesa e muita boa disposição , o pequeno momento teatral divertiu todos os presentes no auditório e também os alunos, que nas salas de aula acompanhavam, via streaming, a cerimónia.
O apresentador, o professor Ricardo Miguel, fazia o papel de Daniel Oliveira, anunciava a presença de Maria José e José Maria, uma das mais antigas alunas da ETEO e de um dos mais novos estudantes daquela escola, respetivamente, num programa “transmitido em direto para todo o país e para as Berlengas”.
Maria José recordou que há 30 anos “os alunos da ETEO não podiam ter medo do escuro”. Isto porque a escola se situava nos Pavilhões do Parque D. Carlos I e porque era frequente faltar a luz.
Já José Maria salientou o facto de atualmente a internet na escola ser tão rápida como o caldense João Almeida no Giro d’Italia. “Às vezes a net é tão rápida, tão rápida que passa e nem a apanhamos na sala de aula”, brincou José Maria.
A tal “primeira aluna da escola” recordou alguns episódios caricatos, como um momento em que uma docente a fazer marcha-atrás bateu num contentor do lixo, que ficou preso ao carro e que foi arrastado até à zona da estátua da Rainha ou ainda o caso de dois alunos que ficaram fechados na escola e que hoje são casados. “Quando as portas encravavam lá vinha o senhor Orlando de motorizada com um arame para as abrir”, lembrou. Já José Maria fez menção a episódios mais recentes, como o caso de uma professora que, na Festa de Natal, e perante uma plateia de cerca de 1000 pessoas, caiu.
Faltou apenas dizer que os atores eram Rita Boavida e Bruno Dinis, dois ex-alunos da escola.

Momento difícil na educação
A diretora da ETEO, Filomena Rodrigues, explicou que “a simplicidade da cerimónia é a exigida pelos tempos que vivemos”. “Vive-se um momento muito difícil na área da educação”, fez notar, salientando que a pandemia coloca dificuldades no cumprimento do papel do educador e obriga a uma reinvenção e renovação. Por isso mesmo, Filomena Rodrigues fez questão de elogiar o corpo docente e não docente pelas adaptações que têm vindo a realizar.
A ETEO tem vindo a sentir algumas dificuldades na captação de novos alunos, facto que se deve especialmente à quebra na taxa da natalidade. Por outro lado, a inexistência de ensino secundário neste estabelecimento de ensino também não ajuda.
A cerimónia, que se realizou no auditório escolar para uma plateia de menos de 50 pessoas, contou ainda com uma dupla atuação de Inês Fouto, que declamou os poemas Pedra Filosofal e a Estrela Polar, ambos de António Gedeão, primeiro acompanhada por Joaquim António à guitarra. Sandra Valentim e as alunas de Técnico de Turismo Bianca Lopes, Daria Sapiton e Teresa Melgaço também declamaram poesia.

O papel da ETEO na desmistificação do ensino profissional
O presidente da Câmara das Caldas, Tinta Ferreira, destacou o papel deste estabelecimento de ensino na desmistificação do ensino profissional.
“A ETEO contribuiu para desmistificar o ensino profissional na região”, disse o autarca, notando o contributo da escola caldense para que esta via deixasse de ser vista como um ensino de segunda. “Caldas foi dos primeiros municípios do país a atingir o rácio de perto de 50% dos alunos no ensino profissional”, fez notar o autarca. Por outro lado, a existência das escolas profissionais permitiu também a um aumento dos resultados no ensino regular.
João Marques Pereira, presidente do Conselho de Administração do Montepio Rainha D. Leonor, saudou a escola e felicitou professores e alunos “pelo enorme contributo que dão às Caldas da Rainha”. O dirigente salientou este estabelecimento como “um exemplo de sucesso a todos os níveis, tanto a nível social, como educativo e até da empregabilidade”. Ilda Cruz, representante do Turismo Centro de Portugal, lembrou que também ela foi uma das primeiras alunas do curso de Técnico de Turismo da ETEO.
“É uma família que me encaminhou profissional e pessoalmente”, descreveu. Já Jorge Barosa e Luís Gomes, presidentes da AIRO e da ACCCRO, também deram os parabéns à ETEO pelo trabalho desenvolvido ao longo de três décadas.