Jovem caldense foi vice-presidente da Assembleia da República

0
329
David Gomes, o terceiro a contar da esquerda, foi um dos vencedores do Parlamento dos Jovens a nivel nacional, tendo sido vice-presidente da mesa da Assembleia

David Gomes, de 16 anos, assumiu as funções no Parlamento dos Jovens, do ensino básico, que decorreu a 15 de junho

O gosto pela política levou-o a inscrever-se, aos 14 anos, numa juventude partidária – a JSD. No ano passado, a professora Ana Cristina Oliveira, que coordena o Parlamento dos Jovens para o ensino básico no Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro, convidou-o a participar na sessão escolar e seguiu-se um conjunto de etapas que culminaram a semana passada, com o jovem estudante a sentar-se na mesa da Assembleia da República, como vice-presidente.
“A experiência foi muito boa e poderá ser para repetir. Conheci as pessoas que estiveram comigo na mesa e fiz alguns amigos”, disse, referindo-se aos jovens dos Açores, Aveiro e Porto, também eleitos para presidir aos trabalhos.
Este ano, a temática em debate foi a violência doméstica e no namoro e a sessão foi transmitida em direto pela internet. Embora a sessão decorresse por videoconferência, a mesa da sessão plenária dirigiu os trabalhos presencialmente, contando com a presença também do secretário de Estado Adjunto e da Educação, do vice-presidente do Parlamento e de alguns deputados.

“[Projeto] desenvolve competências que são esperadas para o perfil do aluno do século XXI”

Ana Cristina Oliveira

“Projeto de cidadania mais importante na escola”

Maria do Céu Santos

“A mesa teve uma dinâmica de trabalho muito boa, articularam-se muito bem”, considera a professora Ana Cristina Oliveira, acrescentando que esta foi a primeira vez que o ensino básico participou neste projeto. A escola tem já uma longa tradição no Parlamento dos Jovens, com estudantes do secundário a notabilizarem-se como deputados, mas também já houve uma estudante, Andreia Galvão, que foi eleita presidente da mesa da Assembleia.
A docente destaca que esta iniciativa deve ter subjacente a questão da cidadania.
“É importante que os alunos possam perceber que há forma de fazer sentir a sua opinião. É um projeto extremamente enriquecedor e desenvolve competências que são esperadas no perfil do aluno do século XXI”. Também a diretora do agrupamento, Maria do Céu Santos, destaca que neste momento “é o projeto de cidadania mais importante na escola”.

Música encerra ano letivo
Dia 18 de junho foi o último dia de aulas para muitos alunos da escola e o “Intervalo +” trouxe música para celebrar.
Rita Caravaca no piano, Gonçalo Figueiredo no baixo elétrico e João Amaral na voz, formaram a banda que cativou a escola, que parou para os ouvir. A iniciativa foi organizada pela associação de estudantes, em conjunto com alguns docentes e está integrada no Plano Nacional das Artes.