Jovens das Caldas e de Óbidos “defrontam-se” através da poesia

0
465
A final interconcelhia contou com a participação de 17 alunos

Poetas centenários deu tema à 13ª edição da final interconcelhia da BLP, que lotou o auditório da Casa da Música

Mafalda Quintino Lourenço, do Agrupamento de Escolas (AE) Josefa de Óbidos, Beatriz Amorim, do AE Rafael Bordalo Pinheiro, e Beatriz Bordalo, do AE Josefa de Óbidos, venceram a 13ª edição da final interconcelhia da Batalha de Leitura | Poesia (BLP), ao nível do 2º ciclo, 3º ciclo e secundário, respetivamente. A iniciativa, que teve lugar a 29 de maio, no auditório da Casa da Música, em Óbidos, contou com as participações de alunos dos agrupamentos de escolas de Óbidos e Caldas da Rainha. Como convidados estiveram também presentes alunos da EHTO e Escola Básica e Secundária Fernão do Pó.
A representar os três escalões a concurso estiveram 17 concorrentes, que leram poemas de Natália Correia, Eugénio de Andrade, Mário-Henrique Leiria e António Manuel Couto Viana, numa edição que teve como temática “Poetas Centenários”. O apuramento coube ao juri constituído por Nicolau Borges, diretor do CFAE – Centro Oeste, Paula Ribeiro, coordenadora interconcelhia da RBE, Aida Reis e Carlos Coutinho, responsáveis pelas bibliotecas municipais das Caldas e Óbidos, e Elisabete Silva, coordenadora intermunicipal do Plano Nacional das Artes.
A final interconcelhia da BLP é uma realização das bibliotecas escolares e municipais das Caldas e de Óbidos, com caráter anual.
No mesmo dia, durante a manhã a Biblioteca Municipal de Óbidos – Casa José Saramago dinamizou a oficina “As Emoções e a Voz Poética”. e a Academia de Música de Óbidos e o Coro Infantil Municipal de Óbidos proporcionaram momentos musicais durante a “batalha”.
De acordo com Luís Germano, coordenador das bibliotecas escolares do AE Josefa de Óbidos, está prevista uma reedição da BLP para o próximo Folio. “Será uma oportunidade única para integrar um evento que tem na palavra a sua génese principal e que, de ano para ano, mobiliza alunos e escolas em torno do texto poético e da leitura em voz alta”, concretiza. ■