Perto de uma centena volta à escola agrícola de Alcobaça

0
516

Todos os alunos do 2º ano (11º ano) e de 3º ano (12º ano) que frequentam a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Cister (EPADRC), em Alcobaça, regressam ao ensino presencial. Ao todo, são cerca de 90 jovens, o equivalente a 51% dos alunos em formação, que frequentarão as aulas em pequenos grupos. Tal como todas as outras, também esta escola teve que se adaptar ao contexto de pandemia, preparando os espaços e garantindo todas as condições de higienização, distanciamento social, e obrigando ao uso de máscara. Dado tratar-se de uma escola com características particulares foram também previstos procedimentos, por exemplo, para higienização dos equipamentos agrícolas, como a desinfecção de cabines de tractores após cada utilização, uma vez que os mesmos são também usados na formação. Para além destes procedimentos, foi necessário reorganizar toda a estrutura curricular dos cursos e respectivos horários, uma vez que os alunos vêm à escola, para ensino presencial, só em algumas disciplinas, continuando com as restantes disciplinas em ensino à distância, explica a directora da escola, Paula Malojo.
Vão estar em aulas presenciais os alunos dos Cursos de Técnico de Cozinha Pastelaria e os alunos de Técnico de Produção Agropecuária. “O objectivo é não comprometer a certificação profissional destes alunos. No caso dos alunos de TPA, por exemplo, as aulas de condução de trator e maquinaria agrícola têm mesmo que ser presenciais, tal como a prova prática para obtenção da certificação de aplicador de produtos fitofarmacêuticos”, explica a responsável. Para além das aulas, também as provas de aptidão profissional dos alunos finalistas serão feitas em regime presencial. Todas as restantes disciplinas e todos os alunos, continuam em ensino à distância.
A Escola Profissional da Nazaré conta com 180 alunos, mas já não abrirá portas este ano lectivo para aulas, tendo em conta que as aulas do 2º e 3º anos terminavam esta semana, e que apenas o 1º ano terá aulas até 15 de Junho. “Entendemos que não valia a pena os alunos regressarem à escola, pois as aulas estão a acabar”, explica Pedro Ferreira, da direcção pedagógica, acrescentando que mantiveram o ensino à distância. “Utilizámos a plataforma TEAMS, da Microsoft, e a experiência correu muito bem”, disse o docente, fazendo notar que a formação em contexto de trabalho, no 1º e 2º anos, será feita no próximo ano lectivo, e que os alunos do 3º ano complementam a sua formação com a Prova de Aptidão Profissional.