Comunicado Localização do novo Posto de Combustível de Óbidos

0
542

1. Em primeiro, este Executivo Municipal lamenta, profundamente, os termos e a linguagem utilizada pela oposição (PS) na discussão sobre a localização do novo posto de combustível da Vila de Óbidos;
2. Referir também que não nos espanta a reacção desta força política, pois é sobejamente conhecida por reagir contra toda a mudança que ocorra no Concelho de Óbidos e pela dramatização ou tentativa de descredibilização de um Executivo reconhecido pelo seu forte dinamismo e acção;
3. Explicar à população que a decisão de construir um novo posto de combustível em Óbidos é uma oportunidade de requalificar toda a entrada de Óbidos onde, sem a retirada das actuais bombas, não é possível desenvolver toda aquela frente, que terá na antiga escola primária uma loja do cidadão; no antigo quartel dos Bombeiros e armazéns da EPAC novos espaços e centros de inovação ao serviço da nossa economia e com toda uma vasta Praça da Criatividade que será uma nova centralidade e nova entrada para quem chega à nossa Vila. A manutenção do actual posto de combustíveis não permite que toda esta grande e importante operação de requalificação urbana e patrimonial se faça;
4. No estudo da localização do novo posto de abastecimento foi tido em conta, sobretudo, um critério de centralidade que não pusesse em causa este serviço aos nossos cidadãos e à luz do PDM o único sítio possível foi localizá-lo no eixo entre a rotunda do Pingo Doce e a Vila de Óbidos, salvaguardando todas as distâncias e medidas de segurança que a lei impõe;
5. Como é óbvio, o Executivo, sabendo que este local serve bem as pessoas, não porá em risco, como absurdamente o PS de Óbidos agora vem afirmar, quer quem frequenta a escola Josefa de Óbidos, quer as residências mais próximas. Este dramatismo é, aliás, imperceptível a uma força política que criou e deixou estar anos a fio junto de uma escola primária um equipamento desta natureza sem o nível de segurança que hoje existe. Como fica claro, isto só levanta “problema” porque é mais uma obra deste Executivo que o PS sabe que vai ser exemplar. E porquê? Porque se trata de uma nova geração deste serviços de abastecimento que vem privilegiar a integração arquitectónica, o uso de energias alternativas e novas opções em matéria de abastecimento dos veículos, como o caso do carregamento eléctrico, onde Óbidos será pioneiro em Portugal;
6. O Executivo Municipal quer apenas fazer avançar o Concelho e dotar a suas populações de melhores serviços. O que temos que encarar com responsabilidade são as opções que existem à luz do nosso PDM e, tal como sempre fizemos, estamos abertos a uma outra solução de localização. Se o PS não concorda com esta localização tem a obrigação de apresentar uma alternativa que não seja a de fazer parar o processo. Alegar que o assunto seja tratado com a revisão do PDM é, precisamente, não apresentar alternativa e querer fazer parar o processo o que não é, de todo, responsável perante um processo de concessão e num momento em que os fundos comunitários para a requalificação da entrada da Vila de Óbidos ou se aproveitam ou se perdem. É isto que o PS quer para Óbidos? Por outro lado este Executivo ainda não percebeu porque é que o PS tem esta posição que se traduz num querer privilegiar a manutenção das actuais bombas de gasolina naquele local sabendo que estas impedem toda a requalificação daquela que é a entrada principal de Óbidos, mas, por outro lado, quando se discute uma outra localização, a querem pôr fora da Vila, ao sugerirem A-da-Gorda, como o fizeram numa Assembleia Municipal. Então Óbidos seria o único sítio do País em que a sua sede de Concelho não teria qualquer posto de abastecimento de veículos?
7. Este comunicado levanta, contudo, uma surpresa (ou talvez não) e uma originalidade na política de Óbidos: a força política que vem agora contestar o assunto com tanto dramatismo, é a mesma que votou esta localização por unanimidade na Câmara Municipal. Repetimos: POR UNANIMIDADE! Basta consultar a respectiva acta, tal como é a mesma que agora no momento da adjudicação da concessão, nem sequer votou contra, tendo os dois vereadores do PS viabilizado com a abstenção a entrega da concessão. Ou seja este assunto não mereceu qualquer voto contra do PS nas duas e únicas reuniões que a Câmara Municipal realizou sobre este assunto;
8. O presidente da Câmara foi mesmo surpreendido com um comunicado do PS que revelava dados ainda internos da Câmara Municipal, nomeadamente o valor da concessão. Questionado os vereadores sobre quem teria dado uma informação à imprensa ainda antes desta ser objecto de deliberação, o senhor Eng.º José Machado, vereador do PS, afirmou peremptoriamente que não fora ele, tentando até incriminar os seus pares na Câmara. Foi muito triste verificar pouco tempo depois através de um e-mail recebido de um jornal regional que essa informação contida no comunicado lhe “fora enviada pelo Vereador José Machado”. Já sabíamos há muito que o senhor vereador, que se intitula independente, é, na verdade, um dirigente partidário com vergonha de se assumir, mas o que é chocante é saber que entre os vereadores eleitos da Câmara Municipal há um que não tem qualquer pejo em mentir descaradamente e em ser desleal com os seus pares da Câmara Municipal. O que é uma autêntica vergonha é este comportamento do senhor Vereador José Machado!

O Executivo Municipal de Óbidos