Acudam que estamos sem água!

0
1288
Gazeta das Caldas
Distribuição espacial do índice de seca meteorológica em 30 de Junho de 2017, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) | D.R.

Ainda sobre o Bom Sucesso:
Quando em Setembro de 2015 citei o poema “Os Alienados”, num artigo publicado neste mesmo espaço sobre os crimes ambientais cometidos no Bom Sucesso, nomeadamente quanto ao uso impróprio da água dos furos (que é de todos nós) para a rega do campo de golfe, quando o projecto previa tratar e usar água de outras proveniências, estava longe de imaginar a longa seca que hoje infelizmente assola o país.

“Os Alienados” aplicava-se e aplica-se à classe política sem visão, que toma decisões incapaz de prever os piores cenários, nunca admitindo que mais tarde ou mais cedo os problemas lhe podem bater à porta, ou seja, que a seca também pode atingir a zona Oeste. E se pensam que os aquíferos são compartimentos estanques sem comunicação e mútua influência a muitos quilómetros de distância, estão completamente enganados.
Gostava que explicassem de que consta a certificação “GEO On Course” atribuída ao agora chamado “West Cliffs Ocean and Golf Resort”, que segundo os promotores “realça as preocupações ambientais”. “Troquem-nos isto por miúdos” – a população tem o direito a ser informada.
Sobre toda a zona Oeste:
Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), 99,5% do território nacional está em situação de seca, com 79% em seca severa ou extrema. Como se pode verificar pelo mapa junto, todo o distrito de Leiria está em seca severa. Os cidadãos servidos pela rede de abastecimento público de água, felizmente ainda não a sentiram. O mesmo não se passa na agricultura.
Sem falar no Alentejo, onde, como é sabido, estão a ser tomadas medidas drásticas, em muitos concelhos da zona Centro estão a ser tomadas algumas medidas de excepção.
Não podemos fingir que os problemas só acontecem aos outros. Antes que cheguem até nós e se instalem, é importante que se fale deles. Nas escolas e nos jardins escola. Por iniciativa das entidades municipais nos eventos públicos, nos jornais locais, nas rádios locais, etc.
Reaproveitamento de águas medianamente sujas para as sanitas, poupança de água nas lavagens de pavimentos e viaturas, poupança criteriosa de água na rega de espaços verdes públicos e privados, introdução de uma garrafa com água no interior dos autoclismos para diminuir o volume da descarga, fechar as torneiras enquanto se escovam os dentes ou se ensaboam as mãos, etc
Ficam as sugestões.

Carlos Mendonça