Coluna Tauromáquica: Meritória presença dos Forcados das Caldas na Nazaré

0
451

Rui Lopes

A 22 de Julho realizou-se a corrida inaugural da temporada da Nazaré. A empresa “Doses de Bravura”, de Rui Bento Vasques montou profissionalmente um bom espetáculo a que o público acorreu entusiasticamente lotando praticamente o redondel nazareno.
Toiros de António Brito Paes, um curro bonito e bem apresentado com toiros nobres, sérios a que faltou alguma chama, proporcionando um bom espetáculo. O bravo 4º foi premiado com volta.
João Moura Jr. teve uma passagem muito positiva e de bom gosto pela Nazaré, com um toureio equilibrado sério e profissional, aproveitando bem o excelente 4º com que esteve mais ativo do que no primeiro. Deixou bons ferros e terminou com bonitas rosas.
Marcos Bastinhas na sendo do seu pai, mantém a ligação ao conclave nazareno, muito pelos seus modos por vezes demasiado exuberantes e popularuchos. Melhor no 5º que no difícil 2º, deixou ferros de valor como os cumpridos e algumas bandarilhas, com especial relevo um bom violino no toiro de abertura. Por vezes tanta exteriorização oculta um pouco o que de bom faz.
O principal triunfador acabou por ser o jovem Joaquim Brito Paes que esteve muito bem toda a noite. Em ambos os toiros teve ousadia e momentos de verdade com um toureio cambiado, mas cingido, a lidar e eleger os terrenos apropriados. Depois do triunfo ali alcançado no ano passado volta a dizer que está presente para os grandes desafios e que se tem que contar com ele.
Boa foi a prestação dos Forcados com os 3 grupos coesos, eficazes, a dar vantagens aos toiros e a ajudar bem.
Por S. Manços pegaram bem e à 1ª sem complicar frente a toiros que empurraram mais do que bateram, Manuel Trindade e Pedro Fontes, oportunamente ajudados por um grupo coeso.
Pelos Forcados da Chamusca pegou bem à 1ª Francisco Rocha fazendo tudo bem feito e sendo bem ajudado, frente a um toiro que se antevia difícil. João Narciso pegou à 3ª com ajudas carregadas a resolver em grupo. O toiro foi o que mais bateu e era pouco claro a investir. Na 1ª não recuou o suficiente e foi muito mal tratado e na 2ª algo diminuído sofreu violentos derrotes que não lhe deram hipóteses.
O Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha na sua 34ª presença na Nazaré, em 30 anos, 4ª corrida da temporada dos 30 anos, esteve francamente bem. Perante toiros que não se adivinhavam difíceis, nem demasiado pesados, o cabo teve a ousadia de escalonar principalmente gente jovem dando oportunidades de rodagem e até de estreia. Martim Graciosa esteve muito concentrado e pegou bem ainda que um pouco de lado, poderoso de vontade e braços, sendo bem ajudado. O jovem Salvador Serrenho pegou bem à 2ª, corrigindo inteligentemente a 1ª onde não mandou o suficiente e aguentou poderosos derrotes, bem ajudado, sobressaindo o primeiro ajuda Carlos Siqueira e António Lacerda eficaz e bonito a rabejar.
Direção correta de Ana Pimenta. ■

Forcados de Caldas em grande na Nazaré (a sua segunda casa)