Coluna Tauromáquica: Triunfal comemoração dos 30 anos dos Forcados de Caldas

0
320

Rui Lopes

Tradicional 15 de agosto, 141 anos,“IV corrida do Coparias”, dos 30 anos do GFACR, um grande espetáculo de lotação esgotada.
Toiros Vinhas bem apresentados, volumosos e com codícia, volta do ganadeiro no último.
Francisco Palha toureou com calma, montando bem e arriscando, transmitindo emoção, sobressaindo o 1º e 3º curtos e o o 4º do 2º toiro, acabou com um violino pelo corredor e um ferro de palmo.
António Telles homenageado pelos 40 anos de alternativa esteve bem mas sofreu toques e resolveu com ferros meritórios pelo corredor. No 2º toiro montou cátedra de bem montar, lidar e colocar ferros de frente e ao estribo, um regalo.
Marcos Bastinhas, bem no 1º mas com reuniões desajustadas, recorreu ao espetáculo, um grande violino no centro seguido de um palmo. No 2º teve das melhores lides até hoje, dos cumpridos aos curtos sobressaindo o 2º e o 3º e um par de bandarilhas de grande nível. Em ligação com as bancadas entremeou com piruetas e levadas espetaculares.
Ao intervalo homenagem a António Ribeiro Telles pelos 40 anos de alternativa e aos Forcados pelos 30 anos.
O Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha no mesmo local e dia, 30 anos, 241 corridas, 732 astados e cerca de 50.000 Km depois, comemorou com dignidade e valor. Em praça 68 forcados nas cortesias e mais na trincheira e na bancada. Alguns mais grisalhos e volumosos, com o mesmo orgulho na jaqueta e a ilusão de sempre. E que bem o fizeram coesos, compenetrados a dar vantagens aos toiros que não deram facilidades.
No 1º o antigo cabo Francisco Mascarenhas poderoso foi para o seu 31º toiro como para o 1º enérgico e tecnicamente bem a aguentar barbaridades. Pegou à 2ª sem demérito, boa primeira ajuda do veterano Marco Cruz e intervenção do retirado Mario Cardeira a rabejar. Foi a despedida que merecia com o público de pé a aplaudir.
Para o 2º ,580kg, foi António Appleton pleno de força, citou de longe e teve a capacidade técnica de se alapar na cara do toiro que veio com muita pata, bem ajudado.
No 3º, 550Kg,impetuoso e a investir alto, Joaquim Lino só à 3ª com mérito, grande ajuda de Carlos Siqueira e restante grupo, o veterano Pedro Figueiredo a rabejar como sempre.
Para o 4º, 450Kg, momento de antologia, o veteraníssimo Francisco Rebelo de Andrade, referencia de sempre foi para o 69º toiro como para o 1º , numa lição de como pegar marcando bem todos os tempos da pega, bem ajudado, o veterano Salvador Pereira a rabejar à antiga.
Para o 5º, 520 kg foi Duarte Palha, fazendo tudo bem feito, bem ajudado.
No 6º, 520Kg, o cabo Duarte Manoel deu uma lição de estar bem e serenidade, frente a um toiro pronto a arrancar com pata, uma grande pega plena de técnica, com o antigo cabo Francisco Calado a rabejar bem e a lançar uma mão oportuna, o toiro desviou da ajuda, a ajudar os antigos cabos Vasco Morgado e Nuno Vinhais.
Abrilhantou bem o espetáculo a Banda do Comércio e Indústria de Caldas da Rainha e dirigiu com critério Ana Pimenta. ■

GFACR 30 anos depois