Editorial: Caldas, Óbidos & Alcobaça (e Rio Maior) – Uma coordenação?

0
270

José Luiz de Almeida Silva

Há dias, no mesmo momento, ocorreram dois eventos culturais em simultâneo, organizados em instalações da mesma entidade (município caldense). Pelos vistos não há preocupação de separá-los com algum tempo de intervalo.
Com frequência ocorrem simultaneamente atividades para públicos semelhantes entre municípios confinantes, no caso Caldas da Rainha, Óbidos, Alcobaça e também Rio Maior (em que a tradição de manter ligação a Caldas é menor).
Contudo, acontecimentos recentes têm mostrado uma confluência de interesses entre estes municípios (CHO entre Caldas, Óbidos e Rio Maior, para não referir outros) e Congresso Mundial da AIC (entre Caldas e Alcobaça), dando razões para pensar que é possível ir mais longe neste diálogo e cooperação.
Em 15 de Maio de 2023, quando escrevemos este editorial, gostaríamos de expressar um desejo prospetivo: Que o próximo passo da afirmação do Oeste como Região Criativa e Resiliente, esta se pudesse constituir como também uma região de diálogo e de afirmação no futuro, respeitando os interesses originários e de partida de todos, independentemente dos oportunismos de bancada, sempre momentâneos e prejudiciais para interesses comuns futuros.
É evidente que a política partidária local “obriga” a conflitos e a entendimentos contranatura do interesse geral e comum de uma região que se quer afirmar numa nova NUT e se perde em questiúnculas momentâneas que se esgotam na espuma das ondas.
Provavelmente estamos a ser ingénuos neste intervalo da história longa em que depois todos se vão arrepender, mas fica este testemunho! ■