Gazeta da europa | Jovens: já se podem registar no Corpo Europeu de Solidariedade

0
830

Criar oportunidades para jovens que querem contribuir para resolver desafios sociais ao mesmo tempo que ganham experiência: este é o objetivo central do Corpo Europeu de Solidariedade que foi lançado no dia 7 de dezembro pela Comissão Europeia.
Pôr em ação a solidariedade que “é o cimento que assegura a coesão da União”, acredita o Presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker e que reafirma: “Não são os Tratados ou os interesses económicos e industriais que nos mantêm juntos, mas os nossos valores”.

Após apenas dois meses de ter sido anunciado, o Corpo Europeu de Solidariedade dá assim o seu primeiro passo. O seu Portal está online em europa.eu/solidarity-corps e permite que jovens e associações se possam registar.
Lisboa foi anfitriã do evento de lançamento nacional que decorreu em paralelo em todas os Estados-Membros envolvendo desde o início no desenvolvimento deste programa os jovens e as associações de solidariedade. Nesse evento apresentou-se a iniciativa e registaram-se os primeiros voluntários portugueses no Portal do Corpo Europeu de Solidariedade.
A partir de agora, os jovens de 17 a 30 anos podem registar-se para oportunidades que lhes permitem ajudar a sociedade em qualquer parte da União Europeia, incluindo no seu próprio país. Os participantes poderão participar em projetos de 2 a 12 meses numa grande variedade de temas – educação, saúde, prevenção de desastres naturais, alimentação, integração de refugiados, entre outros. A participação poderá ter formatos diferentes – voluntariado, estágio ou trabalho – e contará com apoio financeiro da União Europeia. Isto permite-lhes desenvolver competências essenciais para a sua carreira, ter experiências únicas e participar concretamente na construção de uma sociedade europeia mais justa e coesa.
Melhorar as oportunidades para os jovens europeus
O Corpo Europeu de Solidariedade faz parte de uma iniciativa mais alargada – “Investir na Juventude Europeia” – que visa estimular o emprego jovem, melhorar e modernizar a educação, investir mais em competências para jovens e criar mais oportunidades para aprender e estudar noutro país. Esta é uma responsabilidade essencialmente dos governos nacionais mas a UE pode apoiar os seus esforços.
A luta contra o desemprego jovem é uma prioridade máxima para a Comissão Europeia. Uma das outras medidas dentro desta iniciativa é a Garantia para a Juventude que já beneficiou mais de 9 milhões de jovens com um emprego, um estágio ou um curso de aprendizagem graças à UE. Os jovens portugueses podem registar-se em www.garantiajovem.pt/.
A Iniciativa inclui ainda uma nova atividade a ser lançada – o ErasmusPro – que, dentro do programa Erasmus+ vai apoiar estágios de longa duração. Aprender e estudar noutro país já provou ser uma experiência de muito valor para os jovens desenvolverem competências e para melhorar a ligação entre os cidadãos europeus. A Comissão Europeia quer que mais jovens e de todos os escalões sociais possam participar. Para além disso, em 2017 será criado um enquadramento para estágios de qualidade para apoiar os países a introduzir ou reformar os seus sistemas. Outra linha de ação é a melhoria dos sistemas de educação para que os jovens possam adquirir o conhecimento e as competências que precisam para o mundo globalizado e em constante mudança tecnológica.

Representação da Comissão Europeia em Portugal