A semana do Zé Povinho – 25-01-2019

0
1343
Gazeta das Caldas
| D.R.
Gazeta das Caldas
| D.R.

Zé Povinho conhece bem a indústria na região e por isso destaca a ICEL, na pessoa do presidente do Conselho de Administração, Dr. Nuno Radamanto, pelo crescimento que a empresa tem registado e pelos planos de expansão que tem previstos.
Na fábrica da ICEL as máquinas robotizadas já têm um peso relevante no processo produtivo, mas é de salientar que tal nunca foi pretexto para despedir ninguém.
Com 187 trabalhadores, a Indústria de Cutelarias da Estremadura Lda. (ICEL) quer crescer 40% em termos de capacidade produtiva e de facturação nos próximos cinco anos, sendo que para tal deverá dar trabalho a mais 30 a 40 pessoas.
Ainda assim, este ilustre reconhecimento por parte de Zé Povinho não se dirige apenas à ICEL, mas sim a todos os empresários da cutelaria por trabalharem em conjunto num cluster que, desta forma, consegue ter maior expressão e resolver os problemas que se apresentam ao sector, como a qualificação da mão de obra, a adaptação dos transportes públicos às necessidades das fábricas, ou a divulgação daquilo que de bom se faz em Santa Catarina e na Benedita. É que ali trabalha-se o aço com um saber centenário e até ancestral, mas já com a precisão e velocidade do séc. XXI.
Neste contexto, o empresário Nuno Radamanto é um exemplo de dinamismo e de cooperação no sector, pelo que Zé Povinho lhe apresenta os seus cumprimentos.

Gazeta das Caldas
| D.R.

O herói português Cristiano Ronaldo viu-se obrigado a enfrentar uma plateia de centenas de jornalistas e populares quando se dirigia ao Tribunal Provincial de Madrid, para reconhecer a sua fuga aos impostos pelos rendimentos recebidos nos direitos de imagem.
Vingança dos madrilenos pelo abandono inopinado do “rei Português” dos merengues do Real Madrid, ou o curso normal da justiça espanhola, são versões que se juntam à libertação da informação recente também sobre as aventuras do jogador português em terras do Tio Sam em Las Vegas.
Para Cristiano, os 18 milhões de euros que pagou não lhe vão fazer grande mossa no pecúlio bilionário que tem amealhado, sendo o escândalo público do reconhecimento da fuga aos impostos o menos interessante para a sua carreira. A não ser que para as grandes vedetas do futebol ou do espectáculo, as fugas aos impostos sejam o verso da medalha que não fica mal para a sua fama.
Sobrou-lhe também a pena de 23 de meses de prisão, que não vai ser naturalmente cumprida porque em Espanha só acima dos 24 meses é obrigatória quando o réu não tem antecedentes judiciais.
Mesmo assim, a Justiça espanhola obrigou a vedeta portuguesa e do futebol mundial a baixar-se ao juiz em Madrid, não lhe permitindo sequer a entrada sorrateiramente pela garagem.
Zé Povinho admira Cristiano Ronaldo, que é um exemplo de trabalho porfiado na profissão que escolheu desde muito pequeno, apesar de não gostar de ouvir falar nas suas “diversões” mais arrebatadas, sabendo que também ele é capaz de atitudes solidárias com crianças e jovens em situações críticas. Mas mesmo assim, não é um exemplo que se siga em relação à sua atitude quanto ao fisco, apesar de ter muitos seguidores em todo o mundo nessa especialidade.