A semana do Zé Povinho – 30-06-2017

0
1032
Gazeta das Caldas
Gazeta das Caldas
Joao Pereira

Ganhar um Campeonato da Europa não é algo fácil de conseguir. Ganhar dois campeonatos da Europa já coloca a fasquia mais elevada. Mas ganhar dois títulos europeus no espaço temporal de uma semana é algo só ao alcance de um lote muito restrito de atletas.
Houve, contudo, um português, natural das Caldas da Rainha, que o conseguiu.
O seu nome é João Pereira e Zé Povinho já assinalou antes os seus feitos no triatlo. No dia 17 de Junho foi campeão europeu desta modalidade, na Áustria. Uma semana depois, na Alemanha, no dia 24, repetiu o feito na variante de sprint, na qual a distância é metade da prova anterior.
Depois de no ano passado ter tido o melhor desempenho de sempre de um atleta português de triatlo nos Jogos Olímpicos, João Pereira (que está a chegar aos 30 anos) continua a mostrar o seu potencial em provas internacionais e a melhorar os seus registos.
Zé Povinho dá os parabéns a João Pereira, certo de que os feitos deste atleta não ficarão por aqui, e estende-os ao beneditense João Silva, que nas mesmas duas provas conseguiu o terceiro lugar.

Gazeta das CaldasDitam as regras jornalísticas, como as de outras várias profissões, que a informação sobre o suicídio em concreto deve ser tratado com reserva e nunca de forma pública, uma vez que existe o perigo – comprovado pela Organização Mundial de Saúde – do efeito de cópia.
Isto é: para alguém que esteja em momento de desânimo em que se coloque essa hipótese, a divulgação de outros acontecimentos idênticos, é uma forma de fortalecer a sua decisão.
Daí que para Zé Povinho a atitude de Pedro Passos Coelho em Castanheira de Pera, ao ditar para os jornais eventuais suicídios na sequência dos incêndios, mesmo que tal fosse verdade, não era compaginável com a sua posição de líder do maior partido da oposição e anterior primeiro ministro de Portugal.
Para sua tragédia pessoal e política, nem a história era verdadeira, nem tinha qualquer razão de ser, a não ser por ter sido transmitida, com base num boato, por um irresponsável ex-presidente da Câmara (com 4 mandatos anteriores) e de novo candidato ao mesmo lugar depois de um mandato de intervalo.
Não vale tudo na política e no confronto partidário, pelo que o Dr. Pedro Passos Coelho está a ir de mal a pior, o que prejudica cada vez mais o seu partido e principal alternativa à nova maioria de esquerda, que cada vez mais assim vê a diferença aprofundar-se.
Provavelmente outro líder do PSD, refrescado e imune a esta dura travessia no deserto dos últimos tempos, conseguiria nestes tempos conturbados para o PS pós incêndios, ter uma melhor audiência e receptividade.
Esta gaffe de Passos Coelho, que veio colmatar horas mais tarde com um pedido de desculpas, provavelmente vai-lhe custar bastante caro, o que vem demonstrar que afinal o desejado Diabo está a consumir a sua pobre alma…