Viva com coerência, saia em segurança

0
33
Caldas é Rainha
Paulo Pessoa de Carvalho

Caros leitores pela última vez em 2020 venho partilhar algumas reflexões tipo despedida, certo que 2021 será um ano de grandes desafios em todas as frentes e ano esse, para o qual nos teremos de preparar e consciencializar que os nossos problemas, somos nós que os temos que resolver, por mais ajuda que possa haver, esperar por ela será um erro. Parece que a vacina avança, mas ainda não será para já e o nosso plano de vacinação deixa algumas dúvidas. Conseguimos continuar a ser um concelho de baixo risco, parabéns a todos, mas não descontraiam!
Estamos no Natal, em jeito de pequeno resumo de 2020 e também de mensagem natalícia gostaria de dar duas notas:
I – Como negativa, não posso deixar de referir as obras que ocorreram nas ruas da nossa cidade, morosas, sem informação capaz aos residentes e comerciantes, com algumas intervenções deficitárias, afetando todos os munícipes;
II – Como positiva, não posso de deixar de valorizar as iniciativas e espírito de entre ajuda de cidadãos que se juntaram para ajudar no combate à covid-19, tendo que enaltecer as qualidades altruístas dos munícipes Caldenses.
Olhando para 2021 e para o nosso futuro imediato, gostaria que refletíssemos nos dias que se irão seguir nas nossa vidas.
De um modo macro, até diria que há sinais de esperança no horizonte. O arranque da vacinação contra a covid-19 no Reino Unido (nosso maior cliente no turismo) deixa-nos começar a antecipar os ventos de mudança tão necessários a que Portugal volte a perspetivar o crescimento possível, bons sinais que esperamos que se venham a concretizar. Por outro lado, ultrapassado que está o bloqueio, a tão ouvida “bazuca” europeia está prestes finalmente ser disparada e podem começar a chegar às economias os meios para suavizar os efeitos de uma crise sem precedentes. Assim, as novas medidas aprovadas pelo governo para apoiar as empresas, poderão ser um leve ar de esperança que nos permitirá olhar com maior expectativa para o futuro. Mas meus amigos, teremos ainda tempos muito difíceis pela frente e talvez os mais difíceis, com fechos, falências e desemprego a aumentar em 2021 e com certeza a prolongar-se no tempo. A receita que originará a verdadeira recuperação ainda está por descobrir, mas com toda a certeza antes do verão dificilmente seremos capazes de inverter este ciclo depressivo que vivemos, naturalmente com algumas áreas mais afetadas, como: restauração; eventos; comércio; turismo.
O bom no meio de tudo isto, é a capacidade de empresários, gestores, líderes e aqueles que todos os dias ultrapassam dificuldades para garantir que continuamos a produzir, estarem focados e empenhados em ultrapassar todos os obstáculos do caminho, mas cabe a cada um de nós virar a página e pôr mãos ao trabalho, contribuir com a nossa parte para a máquina andar, reinventando-nos, aproveitando as ajudas que possamos vir a ter, mas não esperando e ir à procura, pois só assim poderemos levar a nossa terra e o nosso país para a frente, irmos mais longe, de forma mais sólida!
Despeço-me aconselhando: #Viva com coerência #saia em segurança.