CDS/PP e PSD rompem namoro e Manuel Isaac candidata-se à Câmara das Caldas

1
600

Notícias das Caldas O vereador e deputado Manuel Isaac vai ser o candidato do CDS às próximas eleições autárquicas, depois de goradas as conversações que foram encetadas entre este partido e o PSD das Caldas para uma coligação autárquica.
Depois de várias reuniões entre os responsáveis dos dois partidos, na passada sexta-feira, 22 de Março, os militantes do CDS das Caldas decidiram não aceitar avançar com a coligação
“Os militantes não aprovaram o que tínhamos falado nas reuniões com o PSD. Como não aprovaram, não iremos fazer nenhuma coligação e vamos avançar com uma candidatura própria”, referiu Manuel Isaac, presidente da distrital do CDS.
A 1 de Março os militantes do CDS tinham aprovado uma possível coligação do partido com o PSD nas autárquicas, mas os encontros realizados não resultaram.
Isto apesar do candidato do PSD, Tinta Ferreira, se ter disponível para uma coligação com o CDS. “Havendo essa vontade de ambas as partes, com certeza que chegaremos a um entendimento relativamente às questões de pormenor”, afirmou Tinta Ferreira à Gazeta das Caldas, no final de Fevereiro.

Manuel Isaac não quis comentar o que correu mal, mas Tinta Ferreira contou que “o CDS quis um conjunto de lugares muito acima do que aquilo que tinha obtido nos últimos resultados eleitorais”. Na sua opinião, Manuel Isaac fez tudo para que houvesse coligação, mas o problema terá estado em alguns elementos do CDS caldense que não estiveram de acordo.
“Procurámos ter um projecto em comum e fizemos a negociação de lugares que correspondiam aos últimos resultados eleitorais. Inclusivamente ainda nos disponibilizámos para     que, num ou outro pormenor, o CDS pudesse ter uma situação melhor”, explicou, o também vice-presidente da Câmara das Caldas.
O PSD não cedeu em relação à sua proposta e Tinta Ferreira diz que compreende que o CDS não quisesse aceitar as condições do seu partido.

CDS/PP CONCORRE ÀS FREGUESIAS TODAS

No entanto, Manuel Isaac tem uma versão diferente e diz que a decisão nada tem a ver com lugares nas listas, sem no entanto, querer divulgar as razões. O candidato acredita que o seu partido irá conseguir um bom resultado e não teme que os resultados nas Caldas sejam prejudicados pelo facto de o CDS estar num governo e a ser alvo de muita constatação.
“As pessoas sabem perfeitamente fazer essa distinção entre órgãos”, considera. Também espera que o trabalho que o partido tem desenvolvido no concelho ao longo deste mandato, em que pela primeira vez desde há alguns anos elegeram um vereador, venha a ser reconhecido.
Sem adiantar mais nomes que possam constar das listas às eleições autárquicas, Manuel Isaac anunciou que o CDS “vai-se abrir à sociedade civil” e disse mesmo que irá contar com apoiantes do PSD e da JSD. “As pessoas querem realmente uma mudança na Câmara e dizem-me que o PSD não fez essa mudança, limitou-se a mandar embora o actual presidente, por causa da lei. Todo o resto da vereação mantém-se igual”, rematou.
O CDS criou um grupo que irá reunir com várias entidades e personalidades caldenses para a elaboração das listas. Manuel Isaac disse que vão concorrer a todas as assembleias de freguesia, até porque passaram de 16 para 12, tendo apenas maiores dificuldades no Landal.
Quanto ao PSD, para Tinta Ferreira, o facto de não avançarem com uma coligação não irá prejudicar o PSD. “Queríamos fazer uma coligação para termos uma maior abrangência e estabilidade, mas estamos convictos de que podemos conseguir à mesma um grande resultado eleitoral e uma maioria forte”, concluiu.