CHO vai abrir bolsa de contratação autónoma para novos médicos

0
1098

O CHO vai abrir uma bolsa de contratação autónoma para ter mais médicos e tentar aumentar as respostas nas áreas da Psiquiatria e dos Cuidados Paliativos. O anúncio foi feito aos jornalistas pela presidente do Conselho de Administração, Elsa Baião, no passado dia 22 de Outubro, após reunião com uma comitiva do BE, liderada pelo deputado Heitor de Sousa, que se quis inteirar sobre o processo de integração dos precários e reparação de equipamentos.
No final do encontro, de mais de uma hora, os bloquistas sublinharam a predisposição da nova administração para que estes problemas se resolvam rapidamente.

O novo Conselho de Administração vai abrir uma bolsa de recrutamento autónoma para médicos em algumas especialidades, independentemente dos concursos que são abertos e que decorrem a nível nacional. “Não vamos restringir o número de vagas, que serão adaptadas às especialidades de acordo com os candidatos que aparecerem”, explicou aos jornalistas, Elsa Baião.
Está também previsto o alargamento de áreas como a Psiquiatria e os Cuidados Paliativos, de forma a “tornar o CHO mais atractivo”, acrescentou a responsável. O objectivo é que este centro hospitalar possa ter um factor diferenciador para aumentar o interesse dos profissionais, assim como o de aumentar a capacidade de resposta às necessidades da população.
Elsa Baião informou que estão a trabalhar para reabrir a cozinha o mais depressa possível, de modo a que as refeições voltem a ser preparadas no hospital caldense. Tem conhecimento das queixas de falta de qualidade da comida e, embora não consiga definir uma data para a reabertura da cozinha, garantiu que isso ocorrerá o mais rapidamente possível.

A zona de confecção de alimentos do hospital caldense foi encerrada em Dezembro do ano passado pela ASAE por falta de condições.

Dispensar empresas de trabalho temporário

A comitiva do BE era composta pelo deputado Heitor de Sousa e elementos das concelhias das Caldas da Rainha e de Óbidos.
Os bloquistas pediram a reunião também para fazer um ponto da situação sobre o processo de integração dos trabalhadores precários. Heitor de Sousa veio reafirmar, agora ao novo Conselho de Administração, que uma vez que se trata de um processo de regularização extraordinária, “deve abranger todas as pessoas que foram integradas no programa em curso [PREVPAP]”. As informações que recebeu é de que estão a tentar que “todas as pessoas sejam contratadas de forma permanente”, disse o deputado eleito por Leiria.
Também lhes foi dito que estão a tentar melhorar as condições de trabalho dos profissionais e de bem-estar dos doentes nos hospitais que compõem o CHO.
O Conselho de Administração informou ainda os bloquistas que pretende promover o recrutamento de cerca de 100 enfermeiros e assumiu o compromisso de eliminar o recurso a empresas de trabalho temporário relativamente às contratações de enfermeiros, assistentes operacionais e técnicos de terapêutica e diagnóstico.
Heitor de Sousa registou ainda “com agrado” que a nova administração tinha como perspectiva “impulsionar” a construção de um novo hospital a ser integrado no programa de investimentos públicos 2020-2030. Uma posição que vai de encontro à defendida por este partido.
“Uma região que serve 300 mil habitantes, por maiores e melhores que sejam as obras de requalificação que estão em curso e os investimentos programados para os próximos anos, precisa de uma unidade central hospitalar moderna e que tenha muito mais capacidade de acolhimento e eficácia de acolhimento”, defendeu.
O deputado na Assembleia da República referiu ainda que será necessário requalificar ou reconverter outras unidades, como o hospital caldense, para outro tipo de valências, como os cuidados continuados e paliativos, integrados no SNS.
“Existe uma predisposição, bastante positiva, do Conselho de Administração para que as coisas se resolvam rapidamente”, sublinhou Heitor de Sousa.
A nova equipa de gestão do CHO já tinha reunido no dia 12 de Outubro com a líder do CDS-PP, Assunção Cristas. Elsa Baião destaca que as preocupações dos vários grupos políticos são transversais às da administração. “São problemas que existem e que temos que tentar, aos poucos, resolver tendo em conta o financiamento disponível”, disse, dando destaque à necessidade de renovação das infraestruturas e carências dos recursos humanos. A responsável fez também notar que estas não são carências específicas deste centro hospitalar pois também as há noutros, embora com outras proporções.

BE organiza debate sobre mobilidade

Amanhã, 27 de Outubro, a partir das 15h00, terá lugar uma conferência sobre mobilidade e transportes públicos, nas instalações da União de Freguesias de Nossa Sra do Pópulo, Coto e S. Gregório.
O primeiro painel dará destaque ao transporte ferroviário e contará com as participações de Heitor de sousa (economista e deputado do BE), Rui Pinheiro (Comissão de Defesa da Linha do Oeste), Luís Bravo (presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante) e Jorge Ferreira (trabalhador ferroviário).
Segue-se um painel sobre transportes municipais e intermunicipais no qual vão intervir Heitor de Sousa, bem como António Brandão Moniz (sociólogo e deputado do BE em Peniche) e Campos Rodrigues (presidente da Associação Portuguesa para a Promoção do Hidrogénio).
As entradas são livres.