Ex-candidato do CDS em Óbidos pondera avançar com candidatura independente

0
97
Carlos Pinto Machado
Carlos Pinto Machado não se revê na estratégia política do CDS-PP

Após duas candidaturas pelo CDS-PP à Câmara de Óbidos, Carlos Pinto Machado pondera avançar como independente

Carlos Pinto Machado, candidato do CDS-PP à câmara de Óbidos nas eleições autárquicas de 2013 e 2017, garante que “não será candidato” por aquele partido à autarquia, nem tão pouco irá” integrar ou apoiar a lista” do partido naquele concelho. No entanto, está a ponderar apresentar uma candidatura como independente, “que oportunamente anunciará”, refere em comunicado.
O ex-candidato centrista diz que não se revê na estratégia política da Comissão Política Nacional nem no líder, Francisco Rodrigues dos Santos, “que se revelou uma desilusão”. Relativamente à distrital de Leiria salienta que “o “modus operandi” da presidente daquela estrutura, Rosa Guerra, “é errático”, pois em vez de “unir o partido no distrito lançou uma “perseguição” a quem não apoiou Francisco Rodrigues dos Santos no congresso de Aveiro”, como foi o seu caso. No congresso do ano passado, a que concorreram cinco dirigentes centristas à liderança do partido após a saída de Assunção Cristas, Carlos Pinto Machado apoiou o deputado João Almeida e não o nome apoiado pela distrital centrista.

“Há muita impreparação e falta de humildade”

Carlos Pinto Machado

Questionado pela Gazeta das Caldas sobre a razão pela qual pondera voltar a candidatar-se à autarquia de Óbidos, o empresário na área do turismo e imobiliário refere que o faz porque considera que “existe um vazio de ideias e de ações” que visem melhorar as condições de vida dos obidenses.
“As prioridades do concelho têm sido deixadas para trás. Anda tudo preocupado com as suas carreiras pessoais e interesses instalados, que em nada beneficiam a população de Óbidos”, refere, acrescentando que há “muita impreparação e falta de humildade”. ■