Governo prometeu analisar estudo sobre a linha do Oeste

0
552
Fernando Costa e o empresário Henrique Neto estiveram na reunião com o secretário de Estado dos Transportes onde foi entregue o estudo sobre a linha do Oeste

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, comprometeu-se a “realizar uma análise detalhada” do estudo sobre a sustentabilidade da linha do Oeste que lhe foi entregue no passado dia 3 de Abril por elementos da plataforma cívica que pretendem evitar a supressão do serviço de passageiros entre Caldas da Rainha e Figueira da Foz.
De acordo com o deputado do PSD, Paulo Batista Santos, estiveram presentes na reunião com o governante o presidente da Câmara das Caldas, Fernando Costa, o empresário Henrique Neto e deputados da Assembleia da República.
A Plataforma Pela Sustentabilidade da Linha do Oeste é um movimento suprapartidário que reúne os presidentes de Câmara de Alcobaça, Caldas da Rainha, Nazaré, Óbidos, Peniche, Leiria, Pombal, Figueira da Foz e Coimbra, os dez deputados à Assembleia da República eleitos pelo distrito de Leiria (PSD, PS e CDS/PP) e vários representantes de entidades políticas, cívicas e empresariais daqueles concelhos.
O autor do referido estudo, o caldense Nelson Oliveira, defende que os maus resultados de exploração da CP na linha do Oeste têm a ver com a maneira como a oferta está historicamente estruturada e afirma que o custo por passageiros/quilómetro no troço em risco é “significativamente inferior” àquele que é indicado no Plano Estratégico de Transportes e que serviu de base para a decisão de encerrar o serviço de passageiros.O documento avança medidas concretas que permitem aumentar, num horizonte de três a cinco anos, a procura de passageiros em 16% ao mesmo tempo que se reduz o custo por passageiro/quilómetro em 22%.
Estas propostas passam pela ligação directa dos comboios do Oeste a Coimbra (e não à Figueira da Foz como insistentemente a CP tem feito), pela adequação dos horários, pelo fim dos transbordos inúteis nas Caldas da Rainha e por uma revisão do tarifário que não penalize – como agora acontece – os passageiros desta linha que pretendem seguir para a linha do Norte.

Carlos Cipriano
cc@gazetadascaldas.pt