Propostas da oposição incluídas no orçamento de Óbidos para 2011

0
272

A proposta de orçamento participativo e de controlo da gestão financeira municipal em Óbidos, apresentadas pelo PS, foram aceites pela maioria social-democrata para integrar o orçamento municipal para o próximo ano.
A proposta do orçamento participativo assenta no pressuposto de serem criadas condições para que, em 2012, seja criada esta figura em Óbidos, “como forma de democratização da gestão dos dinheiros municipais e como incentivo à participação dos cidadãos nas decisões políticas que os afectam”, justifica José Machado, vereador da oposição.
Já o controlo da gestão financeira municipal será feita através da adopção de várias medidas que passam por a autarquia garantir o não aumento do valor do endividamento municipal em 2011 e a redução, em pelo menos 20%, do capital em dívida.
Na mesma proposta, José Machado defende a alteração do prazo médio de pagamento a fornecedores para 75 dias e a divulgação, até Abril, de um relatório independente da situação financeira e da relação custo-benefício dos projectos Óbidos Criativa e dos eventos mais relevantes da Óbidos Patrimonium.
O PS apresentou ainda a proposta de fusão das empresas municipais, mas a maioria social democrata não aceitou.
Os socialistas registam “com especial agrado, a abertura revelada pelo Dr. Telmo Faria e pela maioria PSD em aceitar propostas do PS que procuram contribuir para uma melhor gestão dos dinheiros municipais”, diz José Machado. O autarca espera agora que tal signifique um compromisso de diálogo e de articulação de forças e vontades para ajudar o concelho a ultrapassar um ano de 2011 que se afigura difícil para todos.
O vereador absteve-se na votação que aprovou o Orçamento Municipal para 2011, enquanto que Maria Goreti Ferreira, votou favoravelmente, no que terá sido a “gota de água” que levou à retirada de confiança do PS nesta sua eleita.
F.F.