Sebastião Bugalho em campanha nas Caldas e Óbidos

0
439
O candidato da AD durante a visita à Praça da Fruta

O candidato da AD visitou a Praça da Fruta e almoçou com empresários em Óbidos, onde defendeu a criação de uma Agência Europeia do Turismo

Sebastião Bugalho regressou a Óbidos, mais concretamente à zona costeira do concelho, que conhece particularmente bem. Durante um almoço com empresários, no Bom Sucesso, a 31 de maio, mostrou uma fotografia do próprio com sete anos ao lado de Telmo Faria, que foi candidato a presidente da Câmara de Óbidos com a mesma idade que ele tem agora, 28 anos. “Sou um apaixonado pelo Oeste e vivi esta região quando ainda não havia campos de golfe”, recordou, destacando o “trabalho de modernização, crescimento económico e desenvolvimento sustentável” feito na zona costeira de Óbidos. Referindo-se ao caminho que levava à praia do Rio Cortiço (perto do local do almoço), Sebastião Bugalho lembrou que se tratava apenas de um acesso em gravilha, e que agora ali estão instaladas empresas e hotéis de turismo que criam emprego e crescimento económico. “Em Óbidos fomos mesmo da gravilha para os empregos e foi graças à Aliança Democrática, ao Telmo [Faria], ao Filipe [Daniel], aquilo que conseguimos fazer juntos”, disse, enaltecendo o trabalho que tem sido feito na região. No discurso partilhou algumas das propostas da AD como a criação, na União Europeia (UE), de um comissário totalmente dedicado às pequenas e médias empresas, que representam a grande maioria do tecido empresarial português e europeu. Outra das propostas passa pela avaliação do impacto que cada iniciativa legislativa terá ao nível da competitividade, “para proteger empregos e empresários”.
A falta de informação na área do turismo pode ser colmatada, de acordo com o candidato da AD, com a criação de uma Agência Europeia do Turismo. A proposta, que pretende fazer ao Parlamento Europeu não visa “criar mais um chavão, mais uma burocracia”, mas ajudar a fazer melhor turismo. “Como todos os empresários do turismo sabem, há uma coisa fundamental, além da procura, que é a questão da informação: que tipo de clientes é que temos, o que é que eles procuram, a sua faixa etária, a sua faixa geracional, de onde vêm”, salientou. E o facto de os empresários do turismo terem de lidar com a falta de informação “faz com que estejam excessivamente dependentes de plataformas que muitas vezes não estão fiscalizadas como devem estar”, concretizou.
Com a criação da agência será conseguida “uma concentração de informação mais transparente, mais eficaz e mais amiga do crescimento económico”, acredita Sebastião Bugalho.
Horas antes, nas Caldas, e depois de uma ação de campanha na Praça da Fruta, Sebastião Bugalho disse que esta é uma campanha que “quer estar junto das pessoas” e respondeu aos jornalistas sobre o seu apoio à recandidatura de Ursula Von der Leyen e as linhas vermelhas da AD ao Parlamento Europeu. ■