Tinta Ferreira diz que fusão das associações será feita até ao final do ano

0
567
Gazeta das Caldas
A nova associação Caldas XXI terá sede no CCC

Em Dezembro de 2015 os deputados municipais caldenses aprovaram, por unanimidade, a criação de um modelo de gestão para as associações que passa pela fusão do CCC, ADIO e ADJ numa só. Quase dois anos e meio depois esta proposta ainda não se concretizou.
O projecto de fusão será “brevemente” remetido aos associados para se pronunciarem formalmente e o presidente da Câmara, Tinta Ferreira, prevê que o processo esteja terminado no final do ano.

A criação de uma única associação para a gestão dos equipamentos municipais (CCC, Expoeste e Centro da Juventude) com o objectivo do fortalecimento institucional esteve na base da proposta do Movimento Viver o Concelho, que foi aprovada por todos os deputados municipais caldenses em finais de 2015.
Nessa altura, os deputados defenderam também a adopção de um modelo de gestão que, rentabilizando as disponibilidades existentes nas diferentes associações, em recursos humanos, equipamentos e espaços, optimize e potencie a sua utilização, promovendo a qualidade.
Mais tarde, o executivo municipal aprovou por unanimidade, na reunião de 13 de Novembro 2017, os estatutos da “Caldas XXI – Associação de Desenvolvimento Cultural, Empresarial e da Juventude”, que prevê a fusão das três associações. O adjunto do Gabinete de Apoio à Presidência, Luís Ribeiro, foi mandatado para ser o intermediário da autarquia junto das associações para, em Assembleia Geral, decidirem qual a posição sobre esta fusão. Entretanto, Luís Ribeiro já reuniu com todas as associações e, de acordo com Tinta Ferreira, o “projecto de fusão será brevemente remetido aos associados para se pronunciarem formalmente”.

Nova associação chama-se Caldas XXI

De acordo com os estatutos aprovados pela autarquia, a nova associação deverá “implementar um projecto de natureza artística e cultural nos domínios das artes do espectáculo, da recreação, das artes plásticas, da literatura e do pensamento crítico, visando promover a acessibilidade cultural no concelho das Caldas”.
O projecto inclui a rentabilização e exploração do CCC, que poderá estender a sua programação a outros espaços que lhe venham a ser atribuídos. Pretende também contribuir para o desenvolvimento industrial e empresarial da região, através da gestão e exploração da Expoeste.
No que diz respeito ao Centro de Juventude, a mesma entidade (Caldas XXI) fará a sua promoção e apoio a eventos.

A duração de cada mandato é de quatro anos e os órgãos sociais são eleitos em assembleia geral, entre eles a direcção, que é o órgão executivo de administração da associação e é composto por um presidente, um secretário e um tesoureiro. O desempenho das funções da direcção não é remunerado.
Podem ser associados da “Caldas XXI” pessoas singulares ou colectivas que sejam admitidas nos termos dos seus estatutos. Por seu lado, a associação pode juntar-se a outros organismos, nacionais ou estrangeiros, assim como subscrever protocolos ou capital em sociedades comerciais que possam contribuir para a execução dos seus objectivos, e criar delegações ou outras formas de representação.
As receitas da nova associação serão constituídas pelas quotizações e contribuições dos associados, juros e rendimentos dos seus bens, produto da venda de publicações próprias e subsídios e quaisquer outras transferências da Câmara ou de qualquer outra autarquia ou entidade do Estado.