Vítor Marques é candidato independente à Câmara das Caldas da Rainha

0
137
A apresentação pública decorreu no Parque D. Carlos I, e o ambiente será uma das bandeiras programáticas do movimento

Presidente de União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório, eleito nas listas do PSD, candidata-se como independente à liderança da autarquia. O médico António Curado encabeça a lista à Assembleia Municipal

 

“1 de março de 2021, data de uma tomada de decisão”. Foi com estas palavras que Vítor Marques começou por dirigir-se aos jornalistas e alguns amigos presentes para anunciar a sua candidatura à Câmara das Caldas e, assim, “quebrar o tabu”.
A apresentação pública decorreu no Parque D. Carlos I, um espaço público e nobre da cidade, e a decisão de se candidatar resulta do facto de entender que pode “continuar a dar um contributo” para a cidade e para o concelho.
“É algo que toda a minha vida, de uma forma ou de outra, fiz”, disse o presidente da União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório, dando conta da sua intervenção a nível associativo, empresarial e político.
A terminar o seu segundo mandato como presidente da junta, Vítor Marques diz que este é um ciclo que queria encerrar e estar disponível para outros projetos. Passou um ano a “ouvir pessoas, a refletir, a conversar, a ver o enquadramento autárquico e a minha vida particular” e percebeu que pode “fazer alguma diferença” e dar o seu contributo, ainda mais nesta altura de pandemia. Trata-se de uma candidatura “virada para as pessoas, para o bem-estar, para a saúde, para a felicidade”, assumiu na conferência de imprensa.
O movimento de cidadãos que está a formar ainda não tem nome nem sigla, um processo que quer que seja aberto e participado.
O outro único nome conhecido é o do cabeça de lista à Assembleia Municipal: António Curado, médico, antigo diretor clínico do CHO e antigo deputado municipal pelo PS.
“Temos vindo a juntar um conjunto de pessoas com interesses comuns”, disse Vítor Marques, destacando que a candidatura integra cidadãos dos vários quadrantes políticos, da esquerda à direita, inclusivamente nomes que figuraram em listas do PS e PSD nas últimas autárquicas e que “em momentos diferenciados participaram em atividades”, concretizou.
Por outro lado, não se mostra disponível para “negociações” com partidos em troca da inclusão de elementos nas listas. Estas estão a ser preparadas “com ponderação” e o programa vai ser desenvolvido com a participação de todos, tendo por base uma linha orientadora comum.

Maior proximidade
Vítor Marques quer uma maior aproximação à comunidade e considera que o facto de ter sido presidente de junta é uma mais valia nesse sentido, pois permitiu-lhe um conhecimento aprofundado do território e das necessidades das pessoas. “Um euro gasto pela freguesia tem muito mais produtividade do que um euro gasto nos patamares acima, conseguimos ser mais criteriosos, recuperar as coisas, não compramos só por comprar”, justificou.
Vítor Marques, que há quatro anos integrou as listas do PSD como independente, já comunicou a sua candidatura ao atual presidente da Câmara. “Foi algo inesperado e que, de facto, não foi do seu agrado”, disse, acrescentando que este ainda o tentou dissuadir. Por outro lado, reconheceu que tem tido uma relação de trabalho “fantástica” com o chefe do executivo municipal e que, enquanto presidente de junta, tem assumido também, como sua, a estratégia de Tinta Ferreira. O agora candidato por um movimento independente considera que os partidos são muito importantes para o funcionamento da democracia, mas que “é preciso abaná-los” pois estão a “seguir caminhos que nem sempre são os mais corretos”. Defendeu a necessidade de aparecimento de outras listas de cidadãos independentes, dando nota que atualmente estas apenas existem em 6% dos municípios e 12,5% das freguesias, a nível nacional.
“Não vamos concorrer contra ninguém, vamos concorrer pelas Caldas. Acho que devemos ter um conjunto de pessoas, ideias e experiências, que podem ser úteis e ganhadoras para o nosso concelho”, concluiu o candidato independente à Câmara das Caldas. ■

 

“Trata-se de uma candidatura virada para as pessoas, para o bem-estar, para
a saúde e para a felicidade”
Vítor Marques