Óbidos destaca-se no turismo cultural

0
282

Realização de eventos de cariz cultural tem valido ao município a liderança de um nicho de mercado importante. Contudo, há mais concelhos também a olhar para a cultura como uma aposta clara na promoção dos territórios

Foi há menos de cinco anos que Óbidos foi reconhecida pela Unesco como Cidade Criativa da Literatura, pertencendo, assim, ao diminuto lote de municípios que integram a Rede de Cidades Criativas Europeias.
O concelho tem sido capaz de gerar interesse e destacar-se num sector turístico de grande revelância, sobretudo por eventos de grande visibilidade como o Folio, que anualmente traz à vila grandes vultos da literatura nacional e internacional.
Além disso, Óbidos dispõe de várias livrarias de relevo, que complementam a oferta, para além de projectos turísticos também relacionados com as artes, nomeadamente a literatura, que resultam no inovador projecto ‘Óbidos Vila Literária’.
Mas há mais municípios interessados em tirar partido deste nicho de mercado do turismo cultural. No ano passado, a cidade das Caldas da Rainha passou a exibir o galardão de Cidade Criativa do Artesanato e Artes Populares.
Além disso, o Oeste apresenta um manancial de recursos muito diversificado em termos de património cultural que importa ter em conta.
Qualquer roteiro que se preze, por mais singelo que o seja, não poderá ser completo sem abordar As Linhas de Torres, a Real Fábrica do Gelo na Serra de Montejunto, o Budha Éden ou a Rota Bordaliana nas Caldas. Se estiver em família, não se esqueça de conhecer o Parque dos Monges, em Alcobaça, ou o Dino Parque da Lourinhã. O leitor pode pensar que esta frase é redundante, mas, a verdade, é que o difícil é mesmo escolher.

Turismo cultural

Uma vila literária num recanto bafejado pela cultura

Óbidos tem centralizado atenções em vários domínios culturais, mas, desde a criação da Sociedade Vila Literária de Óbidos – Associação Cultural, a 10 de Abril de 2013, assumiu maior destaque no âmbito da literatura. Aquela entidade nasceu tendo como objectivos criar e desenvolver em Óbidos o primeiro projeto de Cidade do Livro do país.
Espaço emblemático da vila é a Igreja de São Tiago, templo criado no século XII e um dos edifícios mais emblemáticos de Óbidos, que, entretanto, deu lugar à Grande Livraria de Santiago. Mas há muito mais para descobrir, desde logo o Literary Man Hotel, um hotel temático que tomou o lugar da Estalagem do Convento e que tem um acervo superior a 40 mil livros. Toda a decoração do espaço tem em conta a ligação entre o homem e o livro. Vale uma visita, sem sombra de dúvidas.
Dentro deste cenário de afirmação, o Festival Literário Internacional de Óbidos (FOLIO) é já um vector essencial. Apostando na proximidade entre autores e leitores, o certame é, reconhecidamente, um marco na vida cultural da região e, por que não dizê-lo, até do país.
Um evento que quase se pode considerar “irmão” é o Books & Movies – Festival Literário e de Cinema de Alcobaça, que também se destina a servir um público interessado em saber mais para além das obras em si. E que privilegia o contacto directo com os artistas. Esta iniciativa consiste em dezenas de conversas com escritores, autores, realizadores e atores, concertos/espetáculos, sessões de teatro e cinema, ateliês e oficinas com história.
De resto, Alcobaça é reconhecida como uma cidade da música. Não só pelo impacto dos The Gift e de projectos como a Banda Sinfónica de Alcobaça, mas também devido à preponderância do Cistermúsica, o festival de música clássica que pretende fazer jus à tradição cisterciense e acolhe espaços como o Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça para apresentar espectáculos de música e dança durante o Verão. Este ano, tal como tantas outras iniciativas de cariz cultural – nomeadamente o Caldas Anima, cuja programação teve de ser revista – ainda há muitas reservas sobre o que nos… reserva a edição de 2020 do Cistermúsica. Mas o espectáculo tem de continuar!