A beleza da costa oestina não deixa ninguém indiferente. Há propostas para todos os gostos e cabe ao leitor fazer uma escolha, estender a toalha e aproveitar este segmento do turismo sol e mar

Desde que o havaiano Garrett McNamara descobriu a Praia do Norte, no Sítio da Nazaré, esta região nunca mais foi a mesma. Todos os anos, milhares de amantes do surf de ondas gigantes acorrem à Nazaré para assistir ao espetáculo e aproveitam para descobrir toda a costa oestina, que tem propostas para todos os gostos.
Ali bem perto, Peniche é outro concelho de forte identidade. Tal como a Nazaré, ali reside uma grande tradição piscatória e um conjunto de praias de tirar a respiração. Mas é sobretudo no surf e nos desportos de mar que Peniche se tem vindo a destacar e, de resto, a afirmar como a “capital da onda”.
Uma ida ao Arquipélago das Berlengas é uma mais-valia para qualquer roteiro que se pense fazer nesta região. E se conseguir fazer uma atividade de mergulho naquelas águas tão carregadas de azul do imenso Oceano Atlântico ainda melhor.
Aliás, toda esta costa merece um olhar atento, pela sua multiplicidade de oferta e beleza única.
Desde as praias de mais difícil acesso no concelho de Alcobaça, passando pelas mais frequentadas, Nazaré e São Martinho do Porto (esta um verdadeiro paraíso para as famílias), passando pela Lagoa de Óbidos, até Peniche e Torres Vedras, todo este território beneficia de estâncias balneares que são reconhecidas a nível internacional.