Os vinhos do Oeste têm recolhido prémios por todo mundo. A diversidade do território é uma riqueza que permite diferentes vinhos, uma aguardente única no país e até, mais recentemente, espumantes. Entre nesta rota que atravessa a região, desde Alcobaça, passando por Caldas, Bombarral e Óbidos e culminando mais a sul, com referências históricas em Torres Vedras ou Alenquer. Vai um brinde?

O Oeste é um território onde a diversidade é uma riqueza. Essa diversidade pode ser saboreada também nos vinhos, diferentes consoante a zona de onde são originários. Se a zona do Bombarral e do Cadaval se afirmou pelos vinhos brancos, leves e frutados, a da Lourinhã ficou famosa pela sua aguardente. Ainda assim, é interessante perceber a diversidade de vinhos que se pode provar no Oeste. Há Pinot Noir, há colheitas tardias de elevada qualidade, há espumantes, há aguardentes e até, se quisermos entrar por aí, gins. A Rota da Vinha e do Vinho do Oeste está dividida em três percursos, o das Linhas de Torres, o de Óbidos e o das Quintas de Alenquer.
“No Circuito das Linhas de Torres existem várias quintas e adegas de portas abertas para partilhar com os visitantes os segredos e sabores dos seus vinhos: Quinta de S. Sebastião, Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa, Adega Mãe, Quinta da Almiara, Quinta Cerrado da Porta. Aproveite para visitar também os castelos e fortalezas das Linhas de Torres, que tiveram um papel determinante na defesa do território nacional contra as investidas dos exércitos de Napoleão”, sugere o Turismo do Centro.
Já em Óbidos, o percurso “abrange a Companhia Agrícola Sanguinhal (proprietária da Quinta do Sanguinhal, Quinta das Cerejeiras e Quinta de S. Francisco), Casa Agrícola Nicolau, Quinta do Gradil, Vale Zias, Vinhos Cortém, Quinta dos Capuchos, mas no caminho há vilas e cidades com muitas razões para fazer uma paragem mais demorada, por exemplo para visitar os monumentos de Óbidos ou comprar cerâmica nas Caldas”.
Em relação às quintas de Alenquer, a mesma fonte sugere que o melhor é começar mesmo no Museu do Vinho de Alenquer e depois prosseguir para “locais como a Quinta da Chocapalha, Quintas da Vassala e Vala Nova, Quinta do Monte d’Oiro, Quinta do Pinto, Sociedade Agrícola Quinta do Garrido, Casa Santos Lima. Os solares desta zona são igualmente pontos de paragem obrigatória, com um vasto património para descobrir”.
Faltará, apenas, dizer que no Oeste muito mais há para desfrutar em termos de vinhos, numa zona que tem merecido destaque com centenas de medalhas em diversos concursos nacionais e internacionais. E em Alcobaça, além de bons vinhos locais, há também um Museu do Vinho com um vasto espólio para descobrir…