Epilepsia

0
588
Gazeta das Caldas

Ao longo das próximas rúbricas, vamos falar sobre as principais perturbações que afetam as crianças.
Comecemos pela Epilepsia, uma das perturbações neurológicas mais comuns, sem causa aparente.
Trata-se de uma doença caracterizada pela ocorrência de crises epiléticas e por todas as suas consequências decorrentes, cognitivas, psicológicas e sociais.
Estas crises epiléticas traduzem um momento súbito de atividade cerebral descontrolada que afeta todo o corpo e leva à perda de consciência, com duração variável (de alguns segundos a vários minutos). Só se confirma o diagnóstico de epilepsia após várias crises epiléticas recorrentes, súbitas e incontroláveis.
Uma em cada 20 pessoas poderá vir a ter um ataque epilético ao longo da vida (ataque isolado), o que não significa que tenha ou venha a ter epilepsia.
Dependendo do tipo de crises, poderão coexistir um ou mais dos seguintes sinais:

• Olhar fixo (5-10 segundos), sem resposta à estimulação (ausência, típica do pequeno mal);
• Perda súbita da força muscular com queda;
• Pestanejo rápido ou revulsão ocular;
• Movimentos da boca (mastigação) ou da face;
• Movimentos rítmicos;
• Rigidez muscular
• Perda de urina / fezes;
• Mordedura da língua ou da bochecha;
• Perda de consciência.

A incidência varia com a idade: é maior nas crianças, decresce nos adultos e volta a subir nos idosos. Calcula-se que uma em cada 100 crianças tenha ou venha a desenvolver esta perturbação.
O que pode conduzir ao ataque? Fatores relacionados com o estilo de vida, tais como, falta de descanso, febre alta, problemas emocionais, stress mas também, relâmpagos, luzes psicadélicas, jogos de vídeo.
Como atuar diante de alguém em convulsão? Primeiro devem ser verificadas as condições de segurança, depois proteger a vítima da área envolvente, amparar a cabeça, desapertar as roupas para maior conforto, não impedir os movimentos, não dar de beber, não acordar a vítima. Após término das convulsões, colocar em Posição lateral de segurança (deitada de lado). Se voltar a convulsar, deitar novamente.
Enviem as vossas questões para a nossa redação, estamos ao vosso dispor para esclarecer.
Boas férias!