A Semana do Zé Povinho – 25 fev. 2021

0
337

Camponês modesto, figura do povo, Zé Povinho não pode deixar de esboçar um sorriso quando vê que, outros como ele, também pessoas laboriosas são destacadas. Vem este elogio a propósito da iniciativa da Junta de Freguesia do Vau, que homenageou as suas gentes com a colocação de fotografias de grande dimensão nos abrigos de passageiros daquela localidade. Os retratos, a preto e branco, mostram momentos do quotidiano em meados do século passado e, para além do registo artístico, é sobretudo uma memória identitária que muito diz à população. Ainda para mais, esta iniciativa vem dar continuidade ao projeto “Memórias Fotográficas do Vau”, que conta com um acervo fotográfico muito significativo da história da freguesia. Zé Povinho parabeniza o jovem presidente de junta, Frederico Lopes, por esta iniciativa, que dá ideias a outros autarcas e deixa, desde já, a vontade de visitar estes abrigos, mal acabe o confinamento, fazendo votos que outros espaços possam ser valorizados com imagens da terra. ■

 

Apesar de não ter nascido à beira da Lagoa de Óbidos, Zé Povinho veio viver para as Caldas pela mão do seu criador Rafael Bordalo Pinheiro, ainda criança, acompanhando ao longo de quase mais de 150 anos as polémicas sobre aquele importante ecossistema. Ouvir autarcas e responsáveis institucionais desculparem-se repetidamente, uns com os outros, pelo facto de poucos dos problemas daquele sistema lagunar tão sensível não serem resolvidos, é mesmo uma óbvia tradição portuguesa. Neste tema não há inocentes e Zé Povinho, já velho habituado a estas coisas, não perdoa esta forma da agir seja dos responsáveis locais (Caldas e Óbidos) como dos nacionais (APA, para não ir mais acima). Cabe-lhes a todos resolver o problema e já vai com muito atraso. ■