137 milhões para implementar projetos públicos na região Oeste

0
310
A presidente da CCDR Centro, Isabel Damasceno, ladeada pelos autarcas do Oeste após assinatura do protocolo

Fundos europeus serão aplicados na Estratégia de Investimentos Territoriais Integrados

A OesteCIM assinou, a 14 de março, o contrato de financiamento das estratégias de desenvolvimento territorial com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR Centro), no valor de 137 milhões de euros. A verba destina-se a comparticipar projetos ao nível da digitalização na Administração Pública, investimento empresarial produtivo, a eficiência energética, infraestruturas de apoio à competitividade, proteção civil e gestão integrada de riscos, conservação da natureza, biodiversidade e património natural, mobilidade sustentável, apoios ao emprego e igualdade de acesso a serviços de educação.
“Estas prioridades refletem o nosso compromisso em promover um desenvolvimento sustentável e inclusivo na região Oeste, assegurando um futuro próspero e de qualidade para todos os seus habitantes”, salienta o presidente da OesteCIM, Pedro Folgado.
Para este responsável, este investimento reveste-se de uma importância “imensurável e representa uma oportunidade única de impulsionar o desenvolvimento regional”. O financiamento, providenciado pela Autoridade de Gestão do Centro 2030, através do plano de ação acordado com a OesteCIM, vai permitir a realização de uma “série de projetos estratégicos alinhados com as necessidades e objetivos da nossa região”, permitindo avançar com iniciativas em muitas áreas vitais para o seu desenvolvimento regional. Além disso, a “diversidade de tipologias de ação contempladas neste financiamento demonstra o compromisso em abordar uma ampla gama de desafios e oportunidades que enfrentamos no Oeste, numa abordagem abrangente e inclusiva para impulsionar o desenvolvimento e garantir o bem-estar de todos os cidadãos”, explicou o também presidente da Câmara de Alenquer.
De acordo com Pedro Folgado, este financiamento não só representa uma injeção de recursos económicos, mas também uma oportunidade para catalisar mudanças positivas, criar empregos, estimular o crescimento económico e melhorar a qualidade de vida dos habitantes da região Oeste. “Estamos comprometidos em garantir uma gestão eficaz e transparente desses fundos, assegurando que sejam aplicados de forma responsável e estratégica para alcançar os melhores resultados possíveis para todos os envolvidos”, salientou à Gazeta das Caldas. ■