30 anos da Escola de Santa Catarina abrem ciclo de tertúlias

0
804
Os tertulianos abordaram a importância da escola na comunidade

Iniciativa da Comissão de Pais da Escola Básica de Santa Catarina

A Comissão de Pais da Escola Básica de Santa Catarina está a promover um ciclo de tertúlias “À Volta da Escola de Santa Catarina”, que teve no passado domingo o primeiro momento subordinado ao tema “Santa Catarina na sua história e espaço: 30 anos à volta de uma Escola”.
Numa sessão que teve moderação de Paula Ribeiro, coordenadora interconcelhia das bibliotecas escolares, o professor Lalanda Ribeiro recordou a mentoria do ensino em Santa Catarina pelo Padre Fernando, através da Telescola, ressaltando a transição para o ensino regular e a qualidade do ensino ali prestado, quando na qualidade de professor, acompanhou muitos alunos oriundos desta escola que ingressaram no ensino secundário, onde lecionava.
Fernando Tinta Ferreira, que foi vereador da Educação na Câmara das Caldas da Rainha, realçou o papel fundamental de figuras como Cabrita Jerónimo e o vereador Rui Gomes na captação de investimento para Santa Catarina, enfatizando a importância da descentralização do parque escolar e da proximidade dos alunos aos estabelecimentos de ensino.
Vasco Ribeiro e António José Almeida destacaram a influência crucial da escola nas suas vidas, valorizando tanto as experiências académicas como os momentos de rebeldia da juventude que também fazem parte do desenvolvimento de cada um, enquanto António José Rocha, relacionado com o “Espaço Abraçar-te”, frisou a importância haver uma infraestrutura escolar na vila.
Cristina Carvalho, que durante 15 anos foi assistente operacional na escola de Santa Catarina, deu exemplo de vários ex-alunos que estão a investir na promoção e desenvolvimento da terra. Cristina Carvalho sublinhou a relevância que a recriação do Foral trouxe à vila e recordou ainda outros projetos muito interessantes em que a escola esteve envolvida, como a “Mala do Património”. Já a professora Paula Boavida, que está na escola praticamente desde a sua abertura, destacou toda a evolução e o que de bom encontrou quando iniciou o seu percurso neste espaço, uma escola “sem vícios” onde foi possível focar no aluno.
A próxima tertúlia terá como tema o futuro da escola. ■