António Carneiro defende criação da região de turismo do Oeste e Médio Tejo

1
840
Para evitar que o Oeste seja diluído na região de Lisboa, existe a proposta de o integrar com a Lezíria e o Médio Tejo

O presidente do Turismo do Oeste quer reunir unanimidade na defesa de uma região de turismo para o Oeste, Lezíria e Médio Tejo. Na missiva que terá chegado ainda esta semana aos autarcas, António Carneiro fala da necessidade de separação “clara” da área metropolitana de Lisboa.
A região defendida pelo responsável do Turismo do Oeste corresponde ao PROT Oeste e Vale do Tejo, que compreende mais de 800 mil habitantes distribuídos por 8792 quilómetros quadrados e 33 municípios dos distritos de Leiria, Santarém e Lisboa.
“O Oeste “perde” autonomia e ganha poder e outra capacidade financeira”, afirma António Carneiro, destacando a importância de poderem fazer promoção externa, o que até agora era impossível aos pólos turísticos. O responsável reconhece que o Oeste não tem forma de ficar como pólo autónomo e que este agrupamento seria a forma de não ficarem incluídos na região de turismo de Lisboa.
António Carneiro participou na passada segunda-feira num conselho empresarial de Leiria, promovido pela NERLEI, onde se pretendia fazer lobby por Leiria-Fátima e o Oeste. Na reunião esteve presente o chefe de gabinete da secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles, que reafirmou a intenção do governo em criar cinco regiões de turismo que irão concentrar as competências antes atribuídas aos pólos de desenvolvimento e às entidades e agências regionais.
José Pedro Amaral informou também que ainda durante o mês de Fevereiro a secretária de Estado quer falar com os responsáveis do Turismo sobre o novo projecto-lei. António Carneiro acredita que tal deverá acontecer durante a BTL, altura em que estarão todos reunidos em Lisboa.

Torres Vedras repudia extinção do Turismo do Oeste

À semelhança do que já aconteceu com outras autarquias, a de Torres Vedras manifesta publicamente o seu “repúdio” à pretensão do governo em extinguir a Entidade Regional de Turismo (ERT) do Oeste.
Os autarcas torrienses, reunidos a 31 de Janeiro, aprovaram uma moção onde apelam ao primeiro ministro para que seja revista a intenção reformista do seu governo e que permaneça em funções esta entidade, a “única forma eficaz de garantir e promover as características e especificidades da região Oeste, bem como dos investimentos em curso e planeados para este território”.
Em comunicado, a autarquia de Torres Vedras refere ainda que extinguir a ERT do Oeste é “decepar um dos traços caracterizadores” desta região,  e põe fim a uma “história de sucesso, com mais de vinte anos de trabalho na criação de um destino e na afirmação do Oeste, enquanto região com especificidades e características que nada têm em comum com metrópoles como Lisboa”.
Integrar o Oeste na Região de Turismo de Lisboa é votar esta região, as suas gentes e empresários, ao “abandono, à descaracterização e à falência de muitos”, concluem os autarcas torrienses.

Fátima Ferreira

fferreira@gazetadascaldas.pt