Associação Ordem do Trevo celebra 11 anos ao serviço do bem comum

0
185
No jantar, foram homenageados os diversos parceiros e voluntários que sustentam a atividade social da associação

Associação assinalou o 11.º aniversário com jantar atendido por uma centena de amigos e parceiros

 

Decorreu, a 18 de março, no restaurante A Lareira, o jantar do 11.º aniversário da Associação Ordem do Trevo (OT), depois de três anos em que não se pôde concretizar, apesar do prosseguimento do trabalho na associação durante a fase pandémica. Estiveram presentes cerca de uma centena de pessoas, entre o corpo dirigente, parceiros, voluntários e representantes autárquicos, para celebrar, ao som de Júlia Valentim e Fernando Lopes, 11 anos dedicados a servir quem mais necessita.
Constituída oficialmente a 15 de março de 2012, a OT começou como uma associação prestadora de apoio alimentar, que “rapidamente evoluiu e, neste momento, é um comboio a alta velocidade”, diz o seu presidente, José Viegas.
Com efeito, atualmente, apoia 65 famílias, mais de 225 pessoas, face a 50 agregados anteriormente ao conflito Rússia-Ucrânia (que resultou num acréscimo de 14 famílias ucranianas apoiadas), às quais se juntam outros cinco agregados que, estando em lista de espera, “continuam a ir receber alimentos à OT nos mesmos dias em que as outras famílias recebem”, afirmou o dirigente associativo. E é um número que está “a aumentar cada vez mais”.
Mas o apoio extravasa o alimentar, de vestuário ou eletrodomésticos, abrangendo, desde há sete anos, o apoio ao estudo, com o fornecimento de material escolar e explicações, através de amigos e empresas que apadrinham a(s) criança(s) e que vão estando sempre a par do seu percurso escolar.
As crianças podem ainda frequentar atividades desportivas através das parcerias criadas com entidades caldenses.
São também de salientar as atividades no âmbito da educação e inserção social que a associação promove, como sejam a conferência sobre saúde decorrida no dia 9 deste mês, no CCC, o evento Desembrulhar Sorrisos, entre outras atividades abertas à comunidade, nas quais é esperada a adesão das famílias apoiadas.
Neste momento, a associação encontra-se à procura de profissionais de saúde mental que possam ajudar crianças e um adulto a passar por dificuldades.
O jantar não findou sem homenagear e/ou premiar os parceiros (19) e voluntários (17) que representam o principal pilar da associação, que prima por recorrer à sociedade civil, para não sobrecarregar a autarquia.
Todos os parceiros receberam uma lembrança – um trevo de cerâmica do atelier Linhas da Terra -, mas houve prémios especiais. O Prémio Reconhecimento Voluntário foi atribuído a Nuno Magalhães, do Grupo Fábrica, o Prémio Voluntário do Ano coube a Anne Piedade, o Prémio Reconhecimento Parceiro ao Agrupamento de Escolas Raul Proença, na pessoa do diretor João Silva, e o Prémio Parceiro do Ano foi para a Caixa de Crédito Agricola Mútuo – Caldas da Rainha, Óbidos e Peniche, na pessoa de Cristiana Lourenço. ■