Batalha da Roliça vai ter grupo de recriadores

0
35
Reunião na Columbeira

Voluntários aderem ao repto lançado na Columbeira pela Câmara do Bombarral e Junta de Freguesia da Roliça

Cerca de duas dezenas de pessoas voluntariaram-se para formar o Grupo de Recriação Histórica da Batalha da Roliça, após uma reunião realizada no passado domingo na sede do Centro Recreativo e Desportivo Columbeirense que foi promovida pelo Município do Bombarral e pela Junta de Freguesia da Roliça. O objetivo principal é a constituição do Batalhão de Caçadores 6, que foi mandado organizar no Porto, em 1808, tendo sido incorporado posteriormente no Exército com a designação de Batalhão de Caçadores Nº6. As duas primeiras ações militares foram precisamente as batalhas da Roliça e do Vimeiro, na Guerra Peninsular, tendo integrado a brigada sob o comando do oficial britânico Nicholas Trant.
A exemplo do que sucede há vários anos no concelho vizinho da Lourinhã, onde foi formada a Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro que integra um grupo de recriação histórica das Invasões Francesas, nesta sessão que contou com cerca de meia centena de participantes na aldeia da Columbeira contou também com a participação da Associação Napoleónica Portuguesa. Trata-se de uma federação que congrega diversos grupos recriação histórica de todo o país, tendo sido acompanhada neste encontro com recriadores provenientes não só do Vimeiro assim como do Sobral de Monte Agraço e Condeixa.
Para Bruno Santos, vereador da Câmara Municipal, a constituição deste grupo “será seguramente do agrado para todos nós e de muito significado do ponto de vista do envolvimento histórico, pelo que seria de certeza uma mais-valia para todo o concelho”. O autarca manifestou toda a disponibilidade da edilidade para apoiar financeiramente e logisticamente a futura entidade que poderá nascer com o propósito de evocar a Batalha da Roliça, que decorreu nesta zona do concelho a 17 de agosto de 1808 durante a primeira invasão do exército napoleónico. Também a presidente da Junta de Freguesia da Roliça, Michelle Bispo, manifestou na ocasião ser “um grande orgulho” a adesão popular a este desafio que servirá também para projetar culturalmente o concelho no país. A freguesia, a par do município, já tinha participado em 2008 na comemoração oficial do bicentenário da batalha.
O presidente da Associação Napoleónica Portuguesa, Faria Silva, apresentou na sessão tudo o que envolve a constituição de um grupo de recriação histórica e o trabalho que vai exigir de cada voluntário, nomeadamente ao nível da formação e participação de eventos não só no concelho bombarralense como em todo o país e, posteriormente, caso seja essa a vontade do grupo bombarralense, em eventos internacionais. O ‘pai’ da recriação histórica napoleónica em Portugal há 20 anos manifestou toda a disponibilidade da associação em apoiar o nascimento, na Columbeira, do Batalhão de Caçadores 6. “Somos presentemente quase 300 recriadores em todo o país”, revelou, adiantando que “não queremos exaltar a guerra mas divulgar culturalmente a nossa história”.
O futuro grupo de recriadores da Batalha da Roliça está aberto à participação de voluntários de toda a região e vai também poder contar com o apoio da associação Leader Oeste, que participou no financiamento de projetos das Linhas de Torres e do Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro e do futuro centro interpretativo da Batalha da Roliça. David Gamboa revelou também que o Município de Óbidos está interessado em colaborar com este projeto bombarralense.
A Batalha da Roliça envolveu tropas do Reino de Portugal e do Reino Unido, que se opuseram aos invasores do Primeiro Império Francês. Foi o primeiro confronto importante entre ambas, tendo as forças da França Imperial sido derrotadas e obrigadas a retirar para sul, culminando quatro dias depois com a realização da Batalha do Vimeiro, que pôs termo à primeira das três invasões francesas ordenadas por Napoleão Bonaparte. ■