Bombeiros com melhorias no feriado municipal

0
324
A central, que é o cérebro da atividade operacional, foi renovada e equipada com tecnologia moderna

Central telefónica renovada, duas viaturas e um compressor torácico resultam de investimento de cerca de 350 mil euros

No dia do feriado municipal das Caldas, os Bombeiros caldenses inauguraram a renovada central telefónica, receberam duas novas viaturas – um veículo florestal de combate a incêndios e uma ambulância de socorro – e o seu primeiro compressor torácico. Foi um dia de festa para os Soldados da Paz.
O Comandante dos Bombeiros das Caldas, Nelson Cruz, salientou que os “Bombeiros estão mais aptos e capazes de enfrentar os novos desafios”.
A nova central telefónica resulta de um investimento a rondar os 80 mil euros. “A central é o cérebro da atividade operacional do nosso corpo de bombeiros e nós tínhamos uma central há mais de 25 anos, já com muitas dificuldades sentidas no dia a dia do trabalho e com pouco conforto para as pessoas que operam e, nesse sentido, era uma necessidade premente”, explicou.
O comandante nota que agora “há mais conforto, há mais condições de trabalho, há uma uma forma mais célebre a fazer desbaste de meios, há uma resposta mais eficaz, até porque a cada momento sabemos onde estão os veículos, porque estão georreferenciados, e conseguimos, através dos nossos monitores, visualizar todo o concelho, que é importante no verão com os incêndios florestais”. Além disso, “conseguimos também através das nossas câmaras visualizar todo o espaço e periferia do quartel, que também era uma necessidade”, frisou o comandante, notando que contam com o apoio financeiro da autarquia nesta obra de cerca de 80 mil euros.
Além de um posto principal, a central conta com um posto secundário, para os momentos em que o volume de trabalho é maior e está também equipada com uma mesa técnica para reunirem.

Entre as novidades estava também o veículo florestal de combate à incêndios que custou 196 mil euros (a autarquia comparticipa 147 mil euros). “Há quase duas décadas que não tínhamos um veículo florestal novo”, contou Nelson Cruz.
Já a ambulância de socorro foi um investimento de 64 mil euros com o apoio da autarquia entre os 40 e os 50%. No largo do Hospital Termal, a ambulância apresentava outro novo equipamento, um Lucas, que é um compressor torácico que custou cerca de 12 mil euros. “O compressor torácico é um equipamento de extrema importância para nós e vamos ter que conseguir adquirir mais um ou dois”.
O veículo florestal tem como patrono a Câmara e a ambulância o restaurante Lisboa XXL, pelo apoio prestado ao longo dos anos, com inúmeras refeições oferecidas aos Bombeiros caldenses.
Nelson Cruz frisou ainda que “os Bombeiros não podem ser o parente pobre do sistema, porque são eles que estão na linha da frente. Quando se liga 112, 95% ou 96% das vezes a nível nacional são os Bombeiros que aparecem e nas Caldas da Rainha são 100%”, disse, complementando: “sempre que as pessoas têm um problema são os bombeiros que aparecem é sinónimo de dizer que os Bombeiros em Portugal e os bombeiros das Caldas da Rainha são a estrutura mais importante, são o braço armado da Proteção Civil, que alimenta todo um sistema no país e que tem tido um fraco reconhecimento pelos nossos governantes”.
O presidente da Câmara das Caldas também apontou à falta de apoio do Estado central, “obrigando” as autarquias a substituírem-se a este.
“Nos últimos dois anos a Câmara investiu cerca de 550 mil euros para apoiar os Bombeiros”, frisou.
O autarca defendeu que “o associativismo faz do nosso concelho diferente dos outros” e agradeceu aos Bombeiros o trabalho desenvolvido. ■